A Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, emitiu um ofício com orientações aos estados e municípios sobre o surto de sarampo em um navio de cruzeiros, que faz escalas em Santa Catarina. O documento orienta que passageiros que estiveram no navio MSC Seaview a partir do dia 3 de fevereiro _ cerca de uma semana antes do início do surto _ e apresentarem sinais e sintomas como febre, tosse, coriza ou conjuntivite, procurem imediatamente uma unidade de saúde e relatem que estiveram na embarcação.

Continua depois da publicidade

A recomendação se estende a pessoas que prestaram serviços, direta ou indiretamente, para os passageiros ou tripulantes do navio.”Considerando que o primeiro caso identificado no navio iniciou em 9 de fevereiro (…), poderia haver circulação do vírus do sarampo a bordo desde o dia 3 de fevereiro de 2019 e que o vírus do sarampo é de alta transmissibilidade e que seu contágio é por via respiratória, todos os passageiros embarcados a partir desta data podem ter sido expostos ao vírus”, afirma o ofício.

O documento diz que o rol de passageiros que demanda atenção é de 10 mil pessoas, de 500 municípios diferentes, vindas de todos os estados brasileiros. O Ministério da Saúde informou que, até a última quinta-feira (21), foram notificadaos 23 casos suspeitos entre tripulantes, dos quais 13 indicaram suspeita de sarampo. Cinco casos permanecem em investigação.

Não há notícia de que passageiros tenham adoecido.

Continua depois da publicidade

Notificação imediata

O comunicado pede que os estados e municípios estejam sensíveis ao surgimento de novos casos, e notifiquem imediatamente suspeitas. Determina, ainda, a coleta de material para análise e o isolamento de eventuais novos pacientes.

O Brasil é considerado país livre do sarampo, e os surtos recentes foram classificados como “importados”. O esforço do Ministério é para tentar evitar a transmissão local.

Relembre o caso

As primeiras suspeitas foram de um surto de rubéola entre tripulantes do navio, que foram mantidos isolados para evitar a contaminação dos passageiros. Na última segunda-feira (18), mais de 1,3 mil tripulantes receberam vacina tríplice viral _ contra sarampo, caxumba e rubéola _ durante a parada do transatlântico em Balneário Camboriú.

Na última quarta-feira (20), o Ministério da Saúde determinou a vacinação de todos os passageiros que estavam na embarcação, e dos que embarcaram em seguida para uma nova viagem. A imunização ocorreu no Porto de Santos (SP).

Continua depois da publicidade

Na sexta-feira, as secretarias de Saúde de Porto Belo e Balneário Camboriú vacinaram operadores de turismo e pessoas que tiveram contato mais próximo com os passageiros do navio na última passagem por SC.

Destaques do NSC Total