nsc
nsc

Infraestrutura

Paulo Guedes nega retorno a SC por investimento milionário em obras federais

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
27/05/2022 - 06h18 - Atualizada em: 27/05/2022 - 06h21
Obra de duplicação da BR-470 está sendo feita com recursos do Estado
Obra de duplicação da BR-470 está sendo feita com recursos do Estado (Foto: Patrick Rodrigues)

O ministro Paulo Guedes negou ressarcimento a Santa Catarina pelos investimentos que o Estado tem feito em obras federais. O convênio com o Ministério da Infraestrutura, que garantiu que as obras não fossem paralisadas, é de R$ 465 milhões. O Estado pedia, em um ofício da Secretaria da Fazenda, abatimento da dívida pública. Guedes respondeu que não há previsão legal.

Receba notícias do DC via Telegram

A dívida de Santa Cataria com a União é de R$ 10 bilhões, acumulada ao longo das últimas décadas. O Estado paga mensalmente cerca de R$ 50 milhões ao governo federal.

Os aportes do Estado vêm mantendo, ao longo dos últimos meses, as obras das rodovias federais em Santa Catarina. Desde que o envio de recursos foi aprovado pela Alesc, havia uma cobrança para que o Estado pedisse uma contrapartida à União. Agora, a expectativa da Fazenda é criar condições legais para que o abatimento da dívida seja possível. Para isso, dependerá da bancada catarinense em Brasília.

No ano passado, o senador Esperidião Amin (PP) chegou a incluir uma emenda na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) prevendo o abatimento do aporte estadual da dívida pública.

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas