nsc
    nsc

    Pandemia

    Réveillon segue nos planos em Florianópolis e Balneário Camboriú apesar do coronavírus

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    26/07/2020 - 12h50 - Atualizada em: 26/07/2020 - 12h52
    Réveillon de Balneário Camboriú é o maior de SC, com um milhão de espectadores
    Réveillon de Balneário Camboriú é o maior de SC, com um milhão de espectadores (Foto: Patrick Rodrigues)

    A decisão da prefeitura do Rio de Janeiro, de suspender o Réveillon de Copacabana devido à pandemia – o maior do país, que na última virada de ano reuniu 2,9 mihões de pessoas – não mudou os planos em Florianópolis e Balneário Camboriú, que têm as maiores queimas de fogos de Santa Catarina. Pelo menos por enquanto.

    O prefeito de Balneário, Fabrício Oliveira, disse que ainda não avaliou a agenda de fim de ano diante do novo coronavírus. De qualquer forma, a prefeitura ainda não lançou licitação para o show pirotécnico, o que tradicionalmente é feito em meados de setembro.

    A data do início dos preparativos é a mesma da Capital. O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, disse que deve avaliar mais à frente o quadro epidemiológico. Mas já admite novas possibilidades:

    - Se por acaso tivermos que cancelar o modelo tradicional, vamos buscar de maneira criativa não deixar passar essa data em branco, que já tem uma marca reconhecida nacionalmente de Floripa no Réveillon. Talvez com transmissão, ou algo parecido, que não permita aglomeração mas sem deixar de projetar nossa cidade nesse momento importante.

    No Rio, segundo o G1, a prefeitura avaliou que a celebração tradicional "não é viável neste cenário de pandemia, sem a existência de uma vacina". A Riotur, que organiza a festa, informou que reunir uma multidão em Copacabana não é a única maneira de celebrar o Ano Novo. Tudo indica que haja algum tipo de comemoração alternativa.

    A possível – e provável - interferência da pandemia no calendário de eventos preocupa o setor turístico, já fortemente afetado pelo coronavírus. Em Florianópolis, o prefeito Gean Loureiro indicou que é preciso ter controle do vírus para conseguir levar a programação adiante:

    - O mais importante é termos um Réveillon com pandemia controlada. Independente das atrações, a maior, para Floripa, será uma demonstração de segurança e controle.

    Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas