O relator do processo que pede a cassação do senador Jorge Seif (PL) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Floriano de Azevedo Marques, voltou a solicitar novas provas sobre o uso de aeronaves por Seif na campanha de 2022. Com isto, a expectativa é que o julgamento, que está suspenso desde 30 de abril, só seja retomado no segundo semestre.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

Nesta semana, o TSE requisitou que o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) intime 34 aeródromos de todo o Estado sobre pousos e decolagens das aeronaves da Havan que ocorreram entre 16 de agosto de 2022 e 2 de outubro de 2022. Na lista estão desde pequenos aeroportos até helipontos. Além de informações sobre os voos, eles também terão que informar a lista de passageiros.

O processo, movido pela coligação Bora Trabalhar (PSD, Patriota e União) acusa Seif de suposto abuso de poder econônico por utilização irregular de aeronaves da empresa de Luciano Hang durante a campanha. A defesa de Seif nega que tenha havido irregularidade.

O primeiro pedido de informações formulado pelo TSE, em abril, era direcionado a nove aeródromos – São José, Balneário Camboriú, Porto Belo, Blumenau, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Mafra, Joinville, Chapecó e São Miguel do Oeste. As respostas, no entanto, foram consideradas insatisfatórias pelo relator.

Continua depois da publicidade

Jorge Seif, Sérgio Moro e as “cartas na manga” do TSE para aliviar relação com o Congresso

A solicitação de novas diligências chama atenção porque a suspensão do julgamento, em abril, para buscar novas provas, foi vista como uma manobra do Judiciário. Horas antes do início da sessão do TSE, vazou a informação de que o relator havia enviado aos gabinetes dos demais ministros o relatório de seu voto, absolvendo o senador. Semanas antes, ele tinha enviado por e-mail aos gabinetes um voto com teor contrário, pela cassação de Jorge Seif.

Destaques do NSC Total