nsc
    nsc

    Opinião

    Vacina aprovada é vitória da ciência, do bom senso e da esperança

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    17/01/2021 - 15h17
    Uso emergencial da vacina contra Covid-19 foi aprovado neste domingo
    Uso emergencial da vacina contra Covid-19 foi aprovado neste domingo (Foto: Futura Press/Folhapress)

    É com calor no coração, caro leitor, que escrevo que a aprovação para o uso emergencial de duas vacinas pela Anvisa, neste domingo, sela o início do fim da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Uma dupla vitória para o país. Temos vacina e a ciência venceu o obscurantismo. Pelo menos hoje.

    > Primeira vacinada contra o coronavírus no Brasil é enfermeira de SP

    A aprovação foi transmitida para todo o Brasil e contou com uma torcida incomum. No país do futebol, a batalha pela vacinação ganhou viés de campeonato. Em campo, a esperança de milhões de brasileiros contra o negacionismo, o movimento antivacinas, o desprezo pela ciência.

    > Anvisa aprova uso emergencial de duas vacinas contra o coronavírus por unanimidade

    Os votos dos diretores da Anvisa são históricos. Ressaltaram a importância humanitária das vacinas, no momento em que brasileiros morrem sem ar. Reconheceram que a imunização é a solução possível, e que não há outra alternativa terapêutica capaz de salvar vidas – ao contrário do que afirma o próprio Ministério da Saúde, que ainda insiste em soluções que não têm o respaldo da ciência.

    > ‘Vamos ser vacinados e continuar tendo que usar máscaras’, diz pesquisadora

    Os diretores da Anvisa falaram da importância da máscara e do distanciamento físico, como medidas profiláticas eficazes e complementares à vacina. Não poderiam ter soado mais distantes do presidente da República.

    Bolsonaro transformou a vacina num circo. Em nome de seu projeto pessoal, desprezou um dos mais eficientes sistemas de imunização em massa do mundo. Apostou na anticiência, no movimento antivacinas, e no ‘cabo de guerra’ com o governo de São Paulo. Uma briga política inútil.

    Não importam as pressões políticas, contra ou a favor. Não importam os interesses dos governantes. Diante das imagens de pessoas recebendo a vacina em dezenas de países, pouco importa à maioria dos brasileiros quem vai lucrar politicamente com a imunização. Teremos vacina porque a necessidade se impõe.

    Em tempos estranhos, de ‘elogio à ignorância’, os cientistas foram capazes de desenvolver imunizantes em tempo recorde. É a ciência quem operará o ‘milagre’ de nos devolver, aos poucos, à vida normal.

    Logo após o ato simbólico da primeira dose em São Paulo, o Ministério da Saúde anunciou a distribuição para os estados. Terá que correr contra o tempo, porque está atrasado na campanha de divulgação e conscientização. A começar por quem cumpre, atualmente, o papel de garoto-propaganda do movimento antivacinas no Brasil. O próprio presidente da República.

    Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas