Florianópolis
Darci Debona

Darci

Debona

Darci Debona

Os fatos mais importantes de Chapecó e região em destaque. A política, a economia, a segurança e o cotidiano do Oeste de Santa Catarina pelo olhar de quem conhece a região.

Darci Debona

MST volta a ocupar fazenda em Xanxerê

Por Darci Debona

20/02/2018 - 10h45

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra voltaram a ocupar a fazenda Chapecozinho, no interior de Xanxerê, durante o final de semana. Cerca de 180 famílias que invadiram o local desde 2016 foram retiradas da área no ano passado, pela Polícia Militar, a partir de uma reintegração de posse determinada pela Justiça. As famílias foram levadas para um ginásio em Faxinal dos Guedes. Mas, devido à demora em definir uma solução, resolveram voltar ao local. A fazenda tem cerca de mil hectares e é localizada parte em Xanxerê, parte em Faxinal dos Guedes. Quem tem a posse da área e afirma ser proprietária é a família Prezotto, dona de uma empresa de sementes. O título foi concedido em 1992. O MST afirma que a área é pública, pois o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) requereu a propriedade em virtude de uma dívida que chegaria a R$ 1,5 milhão. A família Prezotto discute judicialmente o valor da dívida referente à medição da área. A família informou que os advogados devem divulgar uma nota nesta terça-feira, mas a tendência é de um novo pedido de reintegração de posse. A gerência do Incra de Chapecó preferiu não se manifestar, pois a disputa judicial já está em Brasília. Leia todas as publicações de Darci Debona

Continuar lendo
Carol Debiasi / tudosobrexanxerê

Contorno viário de Xanxerê está pronto mas sem acesso à BR-282

Por Darci Debona

19/02/2018 - 10h39

Embora esteja pronto há quatro meses, o Contorno Viário Leste de Xanxerê, que liga a SC-480 com a BR-282, ainda não foi inaugurado. Não dá para dizer que não está sendo utilizado porque alguns moradores insistem em ultrapassar a barreira de terra que foi colocada próximo do acesso à BR-282. O motivo é que falta justamente a ligação do contorno com a 282. A obra de 8 km, que custou R$ 24 milhões era de responsabilidade da Secretaria de Infraestrutura do Estado.  A assessoria de imprensa da secretaria informou que em dezembro foi encaminhado ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) o projeto da alça de ligação, pois como se trata de uma rodovia federal, o órgão ficaria responsável pela execução. A assessoria de imprensa do DNIT informou que durante a obra não recebeu nenhum projeto para análise e aprovação, chegando a embargar a obra, por falta de autorização e pelo risco de segurança. De acordo com o DNIT houve um acordo após proposta do Governo do Estado para que a obra fosse executada dentro do contrato de restauração e adequação de capacidade que o DNIT tem com a Neovias, para o trecho da 282 entre Chapecó e Ponte Serrada. No entanto isso exige levantamento de campo para definir as quantidades, o que deve gerar um aditivo no contrato. Esse levantamento já iniciou mas a obra ainda não tem prazo de execução. MP abre inquérito contra motoristas suspeitos de andar a 250 km/h O Ministério Público de Chapecó abriu inquérito para investigar a conduta de motoristas que andaram a mais de 250 quilômetros na SC-157. Até vídeos circularam em redes sociais mostrando velocímetro a 251 quilômetros por hora e 254 quilômetros por hora. A Polícia Militar Rodoviária de São Lourenço do Oeste fez um boletim de ocorrência sobre esses fatos, ocorridos em 24 de janeiro. O promotor de Justiça Alessandro Rodrigo Argenta decidiu abrir inquérito diante do interesse coletivo. E marcou para a próxima segunda-feira a oitiva dos três suspeitos. Se for comprovada a conduta de condução de veículo em velocidade extrema, além do histórico desses motoristas em andar com velocidade acima do permitido, o Ministério Público vai solicitar a cassação da habilitação destes condutores e prol da segurança das pessoas que transitam na rodovia.

Continuar lendo

Centro de Memória da Unochapecó pesquisa ossada indígena de pelo menos 400 anos

Por Darci Debona

17/02/2018 - 01h17

Uma ossada indígena com pelo menos 400 anos está sendo estudada por pesquisadores do Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina (Ceom), que é mantido pela Unochapecó. A ossada estava dentro de uma urna funerária que foi encontrada na barranca do Rio Uruguai, em Alpestre-RS, que faz divisa com Águas de Chapecó. As cheias ocorridas no ano passado, com vazão que chegou a 19 mil metros cúbicos de água por segundo, no Rio Uruguai, acabou provocando erosão nas margens do rio e revelando a urna. Mesmo quebrada em vários pedaços, pela ação do tempo, a urna com cerca de 50 centímetros de altura estava unida e continha uma ossada humana dentro dela. Ela foi encontrada por moradores que avisaram os pesquisadores. De acordo com a coordenadora do centro e Doutora em Arqueologia, Mirian Carbonera, essa é a segunda urna funerária encontrada na região pelos pesquisadores do Ceom. A primeira foi em Águas de Chapecó, em 2014. – Essa urna vai nos ajudar a responder como eram os sepultamentos pois a maioria eram colocados em urnas de cerâmica mas também existem ossos que foram colocados direto na terra, podendo ser por motivo de hierarquia, ou por serem prisioneiros, isso ainda a gente não sabe. O que já sabemos é que a urna que encontramos também foi utilizada como utensílio doméstico, pois há sinais de fuligem – explicou a arqueóloga. A doutoranda em Arqueologia Vanessa Quintana disse que ainda não foi possível definir o sexo e a idade do indivíduo que foi encontrado na urna. Devido ao tempo alguns ossos já se esfarelaram. As partes mais inteiras são do fêmur e tíbia. Os ossos estavam em posição fetal. Também não foram encontrados utensílios, mas podem ter sido colocados materiais orgânicos. As pesquisadoras afirmaram que a ossada pertence a uma tribo Guarani, que descende de povos vindos da Floresta Amazônica, da região de Roraima. Essa população se instalou na bacia do rio Uruguai num período entre 500 e mil anos atrás. – Conseguimos calcular isso devido à uma camada escura, que fica em média a 50 a 60 centímetros de profundidade, que é resultado de material orgânico depositado numa área onde existia uma grande aldeia – explicou Mirian Carbonera. Ela afirmou que o Rio Uruguai era atrativo por fornecer comida e também facilitava o transporte. Os Guaranis desse período já utilizavam canoas e a primeira urna encontrada revela que eles se alimentavam de milho, o que revela que já eram agricultores. Vanessa Quintana complementou que a bacia do Rio Uruguai abrigou vários povoamentos, mas de forma descontínua. – Eles se instalavam na região e depois saíam, temos várias camadas no solo que revelam a passagem de comunidades que moraram na região em diferentes períodos – explicou Vanessa. Objetos têm até 11,7 mil anos Os arqueólogos encontraram numa profundidade de cinco a seis metros objetos com até 11,7 mil anos, como flechas e lascas de utensílios em pedra. – Temos três sítios arqueológicos em Águas de Chapecó-SC, Alpestre-RS e em Ilha Redonda, em Palmitos-SC, que são os mais antigos de Santa Catarina e entre os mais antigos do Sul do país – afirmou Mirian Carbonera. Isso atraiu até pesquisadores de outros países, como França, Itália e Rússia. O Museu de História Natural de Paris está ajudando a bancar as pesquisas, dentro do projeto “Povoamentos Pré-Históricos do Alto Rio Uruguai”, que iniciou em 2013 e foi prorrogado até 2020. A coordenadora do Ceom explicou que os franceses são especialistas em objetos com mais de 10 mil anos e são muito minuciosos. A idade dos objetos foi possível graças a testes com Carbono 14. Mirian afirmou que a parceria internacional vem sendo muito positiva para o conhecimento sobre os primeiros moradores do Oeste de Santa Catarina. Diferente dos Guaranis das ossadas encontradas recentemente, esses povos eram compostos de caçadores e vinham do Sul, em um período que corresponde ao final da Era do Gelo. Leia todas as publicações de Darci Debona

Continuar lendo

Oftalmologista de Chapecó é condenada por corrupção passiva

Por Darci Debona

16/02/2018 - 21h06

Uma médica oftalmologista de Chapecó foi condenada a dois anos e oito meses de prisão, em regime inicial aberto, por corrupção passiva. A Justiça de Chapecó substituiu a reclusão por duas penas restritivas de direito, prestação de serviços comunitário pelo mesmo prazo e pagamento de um salário mínimo para entidade social.

Continuar lendo

Governo libera R$ 11,2 milhões para ampliação do Hospital de Xanxerê

Por Darci Debona

16/02/2018 - 09h55

O Governo do Estado liberou R$ 11,2 milhões para a ampliação do Hospital São Paulo, de Xanxerê. Esse valor corresponde à segunda etapa do prédio de oito andares, com 5,5 mil metros quadrados, que vai abrigar 10 leitos de UTI coronariana, nova hemodinâmica, novo centro cirúrgico e novos equipamentos de ressonância e densitometria óssea. O número de leitos vai passar de 174 para 214. A expectativa é de ampliar dos atuais 78 mil atendimentos mensais, para mais de 100 mil. Disso, 97% é atendido pelo SUS. O governo do Estado já havia liberado R$ 11 ,5 milhões para a primeira etapa da obra e mais R$ 7,2 milhões em equipamentos. O prazo para conclusão é de um ano e meio. Está previsto também um heliponto pois o hospital é referência em cardiologia para todo o Oeste. Leia todas as publicações de Darci Debona Veja também: Oeste é região mais infestada de mosquitos da dengue Acic vai instalar pontos internet gratuita no Oeste

Continuar lendo

Oeste é região mais infestada de mosquitos da dengue

Por Darci Debona

15/02/2018 - 10h08

Na próxima segunda-feira inicia o Levantamento Rápido de Infestação do Aedes Aegypti, que foi antecipado de abril para agora, por determinação do Ministério da Justiça, em virtude do aumento dos focos de dengue no país. Em Santa Catarina a região mais preocupante é o Oeste. Dos 64 municípios considerados infestados pelo mosquito transmissor, 52 ficam na região. Esse número é 20% superior a 2017. O último levantamento da Diretoria de Vigilância Epidemiológica apontou dois mil focos no estado,  71%a  mais do que no ano passado. – Realmente aumentou muito o número de focos em relação ao ano passado, estamos preocupados pois há um risco grande se chegar alguém doente e for picado pelo mosquito. Dos 39 municípios da região 27 estão infestados por isso nas próximas três semanas vamos trabalhar no levantamento – afirmou a bióloga coordenadora do setor de zoonoses da gerência regional de saúde de Chapecó, Deyse Angelini. A gerência regional dá suporte para o levantamento, que é de responsabilidade dos municípios. Em cada município são sorteados quarteirões onde serão coletadas amostras de larvas dos mosquitos. Alerta para taturana Além do Aedes Aegypti a gerência regional de saúde de Chapecó emitiu alerta sobre o risco de taturanas no verão. Somente nos 39 municípios da regional de Chapecó foram atendidas 14 pessoas em janeiro, que tiveram contato com a lagarta. Destes 11 necessitaram de soro, já que o contato com o veneno da lagarta provoca queimaduras que podem levar à morte. Leia todas as publicações de Darci Debona

Continuar lendo

Acic vai instalar pontos internet gratuita no Oeste

Por Darci Debona

14/02/2018 - 09h41

Uma das metas da nova diretoria da Associação Comercial e Industrial de Chapecó, que será empossada no dia 1º de março, para um mandato de dois anos, é instalar cinco pontos gratuitos de internet. O primeiro ponto será no Hospital Regional do Oeste, que será bancado pela entidade e por duas empresas do ramo de internet e tecnologia, que são associadas da entidade. - Queremos oferecer isso para a sociedade, pois muitas pessoas chegam no hospital com familiares doentes, precisam de comunicação e às vezes não têm crédito ou acesso. Esperamos que o sinal já esteja funcionando em março. Depois pretendemos instalar em outros quatro pontos da cidade – explicou o novo presidente, Cidnei Barozzi. Ele afirmou que a entidade vai seguir também buscando investimentos em infraestrutura, que já uma bandeira da Acic, juntamente com o Centro Empresarial Chapecó. Entre as demandas estão a duplicação da BR 282, ferrovias do Frango e do Milho, ampliação do aeroporto, contorno viário Leste e Oeste. A entidade buscará, ainda, desenvolver projetos para buscar recursos a ações sociais no município, por meio de lei que permite destinar parte dos impostos para projetos na área de saúde, educação e cultura, entre outros. Já estão mapeadas 70 empresas que podem contribuir para esse projeto. A nova diretoria da Acic pretende investir na qualificação dos 1,4 mil associados, com mais cursos e capacitações Mecroagro 100% vendida O presidente da Acic também informou que já está 100% comercializada a Mercoagro 2018, feira voltada para o setor de industrialização da carne, que acontece de 11 a 14 de setembro, no Parque de Exposições Tancredo Neves, em Chapecó. - Temos até fila de espera. São 174 expositores, sendo 50% de Santa Catarina e 27% de Chapecó. Isso mostra a força do agronegócio na nossa região e no Estado – avaliou Barozzi. Uma das necessidades é a construção de um novo pavilhão, para dar conta da expansão do evento. Leia todas as publicações de Darci Debona

Continuar lendo

Área de soja aumenta, mas produção cai 6,8%

Por Darci Debona

13/02/2018 - 08h32

Apesar do aumento de 4,9% na área plantada de soja, que passou de 640 mil para 671 mil hectares, a produção em Santa Catarina vai cair 6,8%. Enquanto no ano passado a colheita foi de 2,29 milhões de toneladas, a previsão para este ano é de 2,13 milhões de toneladas, segundo levantamento deste mês divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O motivo é a queda de 11% na produtividade devido a alguns problemas climáticos, como a falta de chuva na primeira quinzena de dezembro. A queda foi de 3,5 mil para 3,1 mil quilos por hectare. Exportação cresceu 17% A produção de soja vem ganhando importância em Santa Catarina, ficando entre os quatro principais produtos de exportação. No ano passado foram embarcadas 1,8 milhão de toneladas, 17% a mais do que em 2016. O faturamento foi de US$ 745 milhões, contra US$ 622 milhões no ano passado. De acordo com o engenheiro agrônomo do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri, Haroldo Tadeu Elias, as exportações catarinense do produto triplicaram desde 2012. O principal comprador é a China, com cerca de 80% do total. Leia todas as publicações de Darci Debona

Continuar lendo

China dobra compra de suínos de SC

Por Darci Debona

12/02/2018 - 09h30

A China dobrou suas compras de suínos em janeiro em relação a dezembro do ano passado, adquirindo  9,7 mil toneladas, no valor de US$ 20 milhões. Isso representa quase 40% das 25 mil toneladas embarcadas no início do mês, que representaram R$ 51 milhões. Isso representou um aumento de 10% em volume e 4% em faturamento em relação a dezembro. Mas, em relação a janeiro do ano passado, houve uma redução de 1,7% em volume e 6,7% em faturamento. Mesmo assim, a China compensou o volume que era destinado ao mercado russo, que embargou as vendas de suínos do Brasil desde dezembro, alegando suspeita de substâncias não permitidas na carne. A Rússia comprou no ano passado 100 mil toneladas, das 276 mil embarcadas por Santa Catarina. Em janeiro, SC também ampliou a participação nas vendas brasileiras, com 46% do total. Para os próximos meses, é aguardado o início dos embarques para a Coreia do Sul. Representantes do Ministério da Agricultura reuniram-se com autoridades coreanas e foi informado que a documentação de liberação na fase final. Apesar do bom momento nas exportações, os suinocultores não estão muito contentes. Recentemente, o preço baixou dez centavos. O produtor Mario Fries, de Guatambu, disse que o valor, entre R$ 2,90 e R$ 3,00, é inferior ao de 2014. – Nossa margem de lucro é cada vez menor – afirmou. Deslocamento de vestiário até cartão-ponto será pago O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados de Chapecó (Sitracarnes) realizou no sábado uma assembleia na qual um dos pontos de discussão foi um acordo com a BRF para pagamento do tempo entre o vestiário e o cartão-ponto. O sindicato entrou com uma ação, pois esse período não estava sendo computado como hora trabalhada. De acordo com o presidente do sindicato, Jenir de Paula, houve uma acordo com a empresa, mediado pelo Ministério Público do Trabalho. Cerca de 3,5 mil funcionários, sendo mil ainda vinculados à agroindústria, que serão beneficiados. Em contrapartida, cada um terá que assinar uma quitação individual. Leia todas as publicações de Darci Debona

Continuar lendo
Darci Debona

Darci

Debona

Darci Debona

Os fatos mais importantes de Chapecó e região em destaque. A política, a economia, a segurança e o cotidiano do Oeste de Santa Catarina pelo olhar de quem conhece a região.

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação
Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação