A Rua Alfredo Del Priori localiza-se na área central de Criciúma. Por volta das 20h desta quarta-feira (17) o caminhão da coleta do lixo passava pela via, com os garis executando seu trabalho de recolhimento dos resíduos. Eis que uma mulher de 50 anos, que atravessava a rua carregando uma sombrinha para se proteger da chuva, acabou atropelada. Ela morreu no local.

Continua depois da publicidade

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Testemunhas confirmaram que a vítima tentou fazer uso de uma faixa de pedestres que encontra-se apagada. O motorista do caminhão informou não ter visto a mulher. O Samu foi acionado e constatou o óbito no local. A Racli, empresa responsável pela coleta de lixo em Criciúma, emitiu nota de pesar e também salientou que prestou todo o apoio à família da vítima e aos funcionários envolvidos na ocorrência, e que se empenhará para esclarecer os fatos junto à polícia.

As faixas apagadas

Essa ocorrência reacendeu a preocupação dos criciumenses com a deterioração das faixas de pedestres. São muitas pela cidade que, em geral (como é praxe do motorista brasileiro), acabam ignoradas. Seja pela falta de manutenção do poder público, seja pela imperícia e falta de atenção dos condutores.

A necessária combinação, de conservação e respeito, é praticamente ausente em Criciúma. São poucas as faixas de pedestres que combinam os dois fatores. Entre as raras que funcionam, as próximas de alguns colégios e uma localizada na Rua Anita Garibaldi, não muito distante do local do acidente com morte desta quarta-feira. Nesta, perto de uma das maiores escolas públicas da cidade, os motoristas costumavam desacelerar e parar para os pedestres e, mesmo assim, um semáforo foi instalado faz alguns anos para disciplinar o tráfego, que costuma ser intenso naquele ponto.

Continua depois da publicidade

> Sem consenso, PEC dos Precatórios pode ter mudanças no Senado

Em outros locais, as faixas de pedestres vão ganhando repintura conforme a passagem de obras de revitalização de vias públicas. Atualmente, há obras em andamento na região do Bairro São Luiz que, historicamente, conviveu com as precárias condições de sua principal artéria, a Avenida Santos Dumont. 

A faixa pintada pela turma do bar

Há alguns anos, ganhou notoriedade em Criciúma o caso de uma faixa improvisada por frequentadores de um bar no Bairro Operária Nova. Cansados de testemunhar acidentes no cruzamento das ruas Santarém e Wenceslau Braz, os habitués de um antigo estabelecimento ali localizado tiveram a ideia de pintar uma faixa por conta própria.

O caso da faixa pintada por frequentadores de um bar em Criciúma
O caso da faixa pintada por frequentadores de um bar em Criciúma (Foto: Denis Luciano / Arquivo)

A situação repercutiu e não demorou para o município providenciar a pintura de uma faixa de verdade. Coincidentemente, houve, desde então, uma acentuada redução no número de acidentes naquele ponto. A gestão das faixas de pedestres cabe, em Criciúma, à Diretoria de Trânsito e Transportes (DTT).

Leia também:

> Capital pode receber tecnologia 5G ainda neste ano

> Doses de reforço em adultos serão aplicadas a partir de sábado em SC

> Bolsonaro ataca Enem: “aquilo mede algum conhecimento?”

Destaques do NSC Total