No primeiro programa eleitoral de rádio, o primeiro a falar foi Celso Maldaner (MDB). Ele lembrou a memória de Luiz Henrique da Silveira e direiconou-se às raízes emedebistas. O segundo a ser ouvido foi Afrânio Boppré (PSol). – Ninguém larga a mão de ninguém – frisou, nos poucos segundos que tem. Ele ainda defendeu a candidatura de Lula à presidência.

Continua depois da publicidade

Jorge Seif (PL) não falou, mas usou o espaço. Ele foi apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro, que pediu votos para o candidato. Raimundo Colombo (PSD) foi apresentado como candidato “pronto para o bom combate” e se apresentou como “equilibrado” e dotado de “bom senso”.

O segundo bloco da manhã no rádio foi dedicado aos candidatos a deputado estadual. Novamente, vários partidos não preencheram seus espaços, cobertos pela trilha. Dos que fizeram os programas, a maioria optou pela fala dos próprios candidatos. Da região de Criciúma, manifestaram-se Acélio Casagrande (PSDB), ex-deputado e ex-secretário de Saúde do Estado e município, e Márcio Búrigo (União Brasil), ex-prefeito de Criciúma. Um partido, o Patriota, optou por ocupar seus poucos seguintes com locução padrão anunciando seus candidatos e os números.

Finalizando a rodada, os espaços dos candidatos ao Governo do Estado. Gean Loureiro (União Brasil) foi o primeiro a falar. Ao se apresentar, lembrou o grave acidente que sofreu há alguns anos e a razão de ter voz rouca. Lembrou os mandatos que teve, enfatizando o período em que foi vereador, e recordou realizações enquanto prefeito de Florianópolis.

Odair Tramontin (Novo) usou seus 16 segundos para atacar o fundão partidário e pedir visualizações nas redes sociais. Carlos Moisés (Republicanos) insistiu no lema do “aqui já tem governador”, disse que foi “eleito para mudar, e mudou”, mencionou cortes de privilégios e de contratos fraudulentos e citou o “pix” para o repasse de recursos aos municípios.

Continua depois da publicidade

Esperidão Amin (PP) prometeu uma campanha “sem bla, bla, bla”, “sem papo furado” e reforçou o lema “nós sabemos fazer”, evocando sua experiência. Ralf Zimmer (Pros) prometeu ser “o governador de todos os catarinenses”. Os candidatos a governador ausentes na estreia no rádio foram Décio Lima (PT), Jorginho Mello (PL) e Jorge Boeira (PDT).

Destaques do NSC Total