nsc
nsc

R$ 5 milhões

O estádio que quase foi à venda voltará a receber o Campeonato Catarinense

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
24/07/2021 - 12h55
Estádio do Imbituba esteve à venda por R$ 5 milhões há três anos
Estádio do Imbituba esteve à venda por R$ 5 milhões há três anos (Foto: Denis Luciano / Arquivo)

Que tal comprar um estádio de futebol em Imbituba, no Sul de Santa Catarina, por R$ 5 milhões? Mas para chegar nessa perspectiva de investimento imobiliário é preciso, antes, enveredar por uma história esportiva recente da região. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Em 2017, o Imbituba Futebol Clube disputou a Série C do Campeonato Catarinense pela última vez. Lutou contra outras quatro equipes. Terminou em terceiro. O Blumenau subiu para a Série B. E no dia 23 de julho (completou quatro anos nesta sexta-feira), o Imbituba despediu-se daquela competição, em uma derrota por 2 a 0 para o Curitibanos, fora de casa.

Um pouco antes, em 16 de julho de 2017, o Imbituba poderia ter feito a última partida no estádio Emilia Mendes Rodrigues. Aquele empate em 0 a 0 com o Blumenau não marcou o fim do estádio por pouco. É que no ano seguinte o eterno presidente, fundador e dono do Imbituba, Roberto Rodrigues, chegou a colocar o local à venda. 

- É verdade. Faz uns três anos eu estava bem chateado com o futebol. Fizemos um ensaio, eu e um amigo corretor de imóveis. Era um valor bem baixo para vender, mas meus filhos queriam que eu vendesse - conta Rodrigues, que na época exercia mandato de vereador em Imbituba. - Não quis mais a política também - conta ele, que não tentou a reeleição em 2020.

A águia, mascote do Imbituba
A águia, mascote do Imbituba
(Foto: )

Tivesse fechado o negócio e o local, que leva o nome da sua mãe, poderia ter aberto espaço a qualquer outro empreendimento, afinal, é uma ampla área bem localizada em Imbituba. O anúncio abaixo, que ainda pode ser encontrado em um site de venda de imóveis, acusava em 2018 o preço de R$ 5 milhões pelo estádio. - Eu nem sabia que esse anúncio ainda existia - confessa, ao ser avisado pela coluna de que o conteúdo encontra-se online, em um site da cidade.

O anúncio de venda do estádio segue online
O anúncio de venda do estádio segue online
(Foto: )

- Houve umas sondagens, de interessados na área, mas depois repensamos e buscamos alguém para tocar o futebol em Imbituba e aproveitar aquela estrutura toda - destaca Roberto. O clube foi fundado em 2007 e o estádio erguido em 2008, enquanto o Imbituba jogava a Série B do Catarinense em outro local na cidade. 

No ano seguinte, já como CFZ Imbituba (fruto de uma parceria com o Clube de Futebol do Zico, do ex-jogador e craque do Flamengo), o time fez bonito, sagrando-se campeão da Série B estadual, já no Emilia Rodrigues, garantindo o acesso à Primeira Divisão catarinense.

O portão de acesso ao estádio, que está sem futebol desde 2017
O portão de acesso ao estádio, que está sem futebol desde 2017
(Foto: )

18 jogos invicto em casa

O Imbituba chegou a ficar 18 jogos sem perder em seu estádio, desde a inauguração em 2009 até fevereiro de 2010, quando sofreu 3 a 2 para o Criciúma. Fez um grande Catarinense nessa temporada, terminando em quarto lugar. No ano seguinte, porém, acabou rebaixado, mesmo começando 2011 entusiasmado pela boa campanha anterior e por contratar o técnico Müller. E chegou a ganhar do Avaí na Ressacada

Mas partir daí o Emilia Mendes Rodrigues foi sofrendo um processo de abandono, com as fracas campanhas do Imbituba que oscilou entre fechamento de portas e retornos incipientes nos anos seguintes. Jogou a Segunda Divisão em 2012 e 2013, fechou em 2014 e 2015, voltou em 2016 e 2017 na Terceira, sem sucesso.

Parte das arquibancadas do estádio inaugurado em 2009
Parte das arquibancadas do estádio inaugurado em 2009
(Foto: )

Em novembro de 2017, pouco antes de Roberto Rodrigues colocar o estádio à venda, foi possível verificar a condição do mesmo em uma visita ao local. A grama estava alta, havia lixo em alguns cantos e faltava um reforço na pintura do Emilia Rodrigues, com capacidade para 5 mil torcedores. Enquanto o estádio homenageia a mãe do ex-vereador e dono do clube, o complexo todo faz menção ao pai, Alberto Rodrigues. - Empreendimento imobiliário aqui está fora de cogitação, só negociamos com quem queira fazer futebol - avisava o dono do Imbituba, à época.

Vai ter futebol no Emilia Rodrigues

A promessa foi mantida, e agora o Imbituba está de volta. E vai jogar a Série C do Catarinense de novo no Emilia Mendes Rodrigues. O retorno é fruto de uma parceria com o Baruch Sport Club, um projeto social e esportivo que vem sendo desenvolvido em Imbituba nos últimos anos. - Estou satisfeito. Arrendamos o estádio, fizemos uma parceria com o Maurício (Daghetti, presidente do Baruch) e eles vão tocar o futebol. Nós estamos ajudando no que é possível - informa o empresário.

O Imbituba está na Terceira Divisão com outras oito equipes. Duas subirão para a Série B do Catarinense de 2022, competição que terá como grande destaque a estreia do Criciúma, recém rebaixado. O Imbituba fará sua estreia no dia 3 de outubro, no Emilia Rodrigues, contra o Blumenau. Antes, em 26 de setembro, será realizada a primeira rodada com os jogos Navegantes x Jaraguá, Pedra Branca x Porto, Blumenau x Caravaggio e Batistense x Itajaí. - Fico feliz que tenha dado certo e que o futebol continue no nosso estádio - finaliza Roberto.

Leia também:

> Na volta do fundão ao Congresso, deputado pede votação presencial

> Covid cala uma jovem e versátil voz do rádio Sul catarinense

> Outro atropelamento faz lembrar a falta de passarelas na principal avenida de Criciúma

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas