nsc
nsc

Covid-19

R$ 4 milhões perdidos em dois anos sem Festa da Gastronomia em Nova Veneza

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
14/06/2021 - 05h36
Polenta, um dos principais pratos da festa de Nova Veneza
Polenta, um dos principais pratos da festa de Nova Veneza (Foto: Guilherme Hahn / Especial / Arquivo)

Longe de ser uma contestação aos necessários limites impostos por conta da pandemia de Covid-19, mas Nova Veneza, no sul de Santa Catarina, lamenta e muito o segundo ano sem poder realizar a sua Festa da Gastronomia, que sempre ocorria na segunda quinzena de junho. Ou seja, estaria por começar nos próximos dias.

Com população de 15,2 mil habitantes estimada pelo IBGE, a cidade, distante 18 quilômetros de Criciúma, via saltar a sua economia nos dias de evento que teve 15 edições presenciais e que a cada ano era um sucesso maior.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

- Vamos ampliar. A ideia é fazer a festa em dois finais de semana seguidos. De uma sexta até o outro domingo, praticamente duas semanas de festa - projetava, empolgado, o prefeito Rogério Frigo (PSDB) em 24 de junho de 2019, quando nem se imaginava o que seria a pandemia de Covid-19. 

> Festa da Gastronomia de Nova Veneza é cancelada em função do coronavírus

A ideia era exposta no ambiente da recém encerrada 15ª edição que, naquele ano, levou 120 mil pessoas em quatro dias a Nova Veneza, para saborear os pratos típicos da cidade que é considerada Capital Nacional da Gastronomia Típica Italiana. As atrações culturais, como o Carnevale di Venezia, também chamavam muita gente. Veio 2020 e, com o coronavírus se espalhando, Nova Veneza se viu privada do seu principal evento.

A mesa farta é marca registrada de Nova Veneza
A mesa farta é marca registrada de Nova Veneza
(Foto: )

- São dois anos sem a festa. O município investia, em média, de R$ 500 mil a R$ 700 mil e tinha um retorno de mais de R$ 2 milhões. entre restaurantes e tudo o que girava em torno da festa. Com certeza é um prejuízo muito grande - aponta Frigo, lembrando que essa receita de R$ 4 milhões nas edições de 2020 e 2021 tinha a tendência de ser ainda maior, já que a intenção era justamente ampliar o tempo de festa por conta do sucesso.

A volta em 2022

Mas o prefeito está confiando que em 2022 será possível retomar a festa presencial. - Eu acredito que sim. A previsão é que até outubro, novembro, toda a população com até 18 anos esteja vacinada, então eu acredito que ano que vem estaremos livres para fazer a festa - aponta. - Reconhecemos que os números da pandemia ainda não são satisfatórios, mas acredito que teremos a festa a partir do ano que vem - completa. 

Em uma visita a Nova Veneza, em setembro de 2019, governador Carlos Moisés ganhou uma máscara do Carnevale di Venezia
Em uma visita a Nova Veneza, em setembro de 2019, governador Carlos Moisés ganhou uma máscara do Carnevale di Venezia
(Foto: )

Nova Veneza tem, desde o início da pandemia, 2.650 casos confirmados de Covid-19, com 2.562 recuperados e 27 óbitos, 16 ocorridos em 2021 e 11 em 2020. O primeiro óbito na cidade foi de uma mulher de 44 anos em 20 de julho do ano passado. O mais recente, uma mulher de 90 anos no último dia 5. A taxa de letalidade do município, que conta atualmente com 61 casos ativos de Covid, é de 1,02%.

Quando ainda era possível aglomerar, o pavilhão da festa lotava
Quando ainda era possível aglomerar, o pavilhão da festa lotava
(Foto: )

Não vai passar em branco

Mesmo com o cancelamento da programação pelo segundo ano consecutivo, a festa não passará em branco. É que Nova Veneza comemora sua emancipação em 21 de junho. Os 63 anos da autonomia em relação a Criciúma serão assinalados numa segunda-feira. - Teremos o bolo do aniversário sendo cortado, e faremos algumas atividades simples no fim de semana anterior - confirma o prefeito Frigo.

No sábado, 19, quando a Festa da Gastronomia estaria em seu ápice, a escolha de uma rainha e a celebração itinerante de um padre serão os eventos em Nova Veneza. - Teremos a escolha da rainha da festa, muito restrita em nosso teatro, com no máximo 70 pessoas, incluindo as candidatas a rainha, em um ambiente com capacidade para mais de 150 pessoas - anuncia.

A prefeitura contratou o padre Ezequiel Dal Pozzo para a benção aos neovenezianos. - Ele vai passar, em um carro aberto, pelos nossos distritos do Caravaggio e de São Bento Baixo, passará pela cidade também, sem paradas, para não ter aglomerações - informa.

O baile de máscaras era o ponto alto da noite de gala da festa
O baile de máscaras era o ponto alto da noite de gala da festa
(Foto: )

Leia também:

> Carnaval de Nova Veneza reúne mais de 50 mil pessoas em um dia

> Nova Veneza no clima da Festa da Gastronomia Típica Italiana

> Nova Veneza espera 100 mil pessoas para a Festa da Gastronomia Típica Italiana

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas