nsc
    nsc

    Menos de 48 horas

    Como a PM chegou aos suspeitos do assalto em shopping de Florianópolis

    Compartilhe

    Por Diogo Vargas
    14/09/2018 - 07h47 - Atualizada em: 14/09/2018 - 09h42
    assalto à joalheria
    (Foto: Divulgação PM)

    Em menos de 48 horas, a Polícia Militar conseguiu identificar e apreender os suspeitos do violento assalto de terça-feira a uma joalheria do Floripa Shopping. Rede de informantes, monitoramento da inteligência, colaboração do estabelecimento com filmagens e mobilização incessante dos PMs do 4º Batalhão são as principais razões apontadas para o sucesso na ação.

    Os envolvidos apreendidos são três adolescentes: dois têm 17 anos e um 16 anos. Estavam em uma quitinete no Morro do Quilombo, região do bairro Itacorubi, quando a PM os localizou, no começo da noite de ontem.

    Levantamento anterior

    Mantinham no local sete relógios, quatro colares, uma pulseira, um par de brincos, um pingente, dois anéis, pequena quantidade de drogas e dinheiro.

    O comandante-geral da PM, coronel Araújo Gomes, afirma que eles foram reconhecidos por filmagens, pois estiveram no shopping 30 minutos antes fazendo levantamento. Segundo Gomes, também confessaram o roubo e as joias foram reconhecidas por funcionários da joalheria.

    Chinelo

    Um detalhe inusitado chamou a atenção dos policiais: os autores colocaram um chinelo na porta da loja para segurar aberta a porta automática. Um quarto envolvido ainda está sendo procurado, assim como a submetralhadora usada. Os adolescentes foram encaminhados para a Polícia Civil.

    – Desde o início tivemos o acionamento rápido do shopping, houve colaboração com informações, o serviço de inteligência do 4º Batalhão da PM atuou sem parar e conseguimos chegar aos autores – disse o comandante-geral.

    Segundo Araújo Gomes, os três garotos já eram conhecidos dos policiais por antecedentes em crimes graves.

    Diante da repercussão e violência do crime, a PM reforçou a equipe que trabalhou no caso com os PMs do 4º Batalhão.

    Leia mais notícias e análises de Diogo Vargas

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas