O frio que atrai milhares de turistas para a região serrana de Santa Catarina também é importante para outro setor, o da fruticultura. As frutas de clima temperado a exemplo da maçã, pêra e uva precisam do frio para se desenvolver. Nesta época do ano elas estão no chamado “período de dormência”, quando as folhas caem e ficam apenas os galhos, o que dura em média 90 dias. As frutas precisam de até 800 horas de frio inferior a 7,2 graus para que o desenvolvimento aconteça e resulte em frutas de qualidade.

Continua depois da publicidade

>>Serra de SC amanhece com geada e temperaturas negativas; veja fotos

– Na região de São Joaquim normalmente são contabilizadas entre 1 mil e 1,4 mil horas de frio. Nós temos frio necessário para superação do período de dormência de maneira natural. Até o início do mês de junho já foram contabilizavas 200 horas de frio. E a tendência é que essa quantidade seja próxima da média normal climatológica, explica o pesquisador da Epagri João Felipetto.

>>Cidade de SC perde o título de “Capital do Alho”, mas vira o “Coração” do Estado

Na maça, nas variedades mais exigentes são necessárias até 800 horas e na menos exigentes até 600 horas de frio. Já as uvas para produção dos vinhos finos de altitude exigem entre 200 e 400 horas de temperatura abaixo dos 7,2 graus.

Continua depois da publicidade


A serra catarinense é uma das maiores produtoras de maçã do Brasil. Só da região de São Joaquim saem em média, por ano, 300 mil toneladas. São mais de 2,6 mil famílias de produtores que trabalham na atividade. A uva também vem ganhando destaque com a produção dos vinhos finos de altitude, muitos premiados nacional e internacionalmente. Segundo especialistas a altitude e o clima da região são fundamentais para esse resultado.

Destaques do NSC Total