nsc
nsc

Política

Prefeito e servidor público de Bom Retiro têm R$ 1,2 milhão bloqueados

Compartilhe

Eduarda
Por Eduarda Demeneck
22/03/2019 - 17h38 - Atualizada em: 22/03/2019 - 17h56
Arquivo da Prefeitura de Bom Retiro / Divulgação

Uma casa construída no interior de Bom Retiro fez a justiça bloquear R$ 1,2 milhão dos bens do prefeito da cidade, Vilmar José Neckel e do responsável pela Secretaria de Obras, José Carlos Pereira. Segundo o Ministério Público, a casa teria sido construída com material, mão de obra e carro do município. A casa é do servidor, José Carlos Pereira, e teria sido construída com a ordem do prefeito.

Na ação ajuizada pela promotoria de Bom Retiro foram ouvidos funcionários da prefeitura que afirmaram ter ajudado na construção. Em depoimento, um deles disse que utilizavam o carro do município, e que durante oito dias ajudaram na obra, em horário de trabalho. Por telefone, o prefeito de Bom Retiro disse que a madeira doada era apenas restos de demolição para lenha. Disse ainda que o município não custeou a obra particular do servidor público. Entretanto, confirmou que os funcionários da prefeitura ajudaram na obra.

Leia também: Cidades da Serra Catarinense celebram colheita de uva

— Eles trabalharam acho que três dias, então foi mínimo, eles ajudaram a montar lá. Porque a gente sempre compensa o funcionário. E esse outro funcionário que é o dono desse sitiozinho, ele trabalha no bombeiro e nos auxilia na prefeitura, então a gente faz esse tipo de compensação. Fazia, agora não faço mais, tá.  – Disse o prefeito.

O dono da casa, responsável pela secretaria de obras, também negou as acusações. Os dois respondem por improbidade administrativa. Eles vão recorrer da decisão do bloqueio bens.

:: Água que chega às torneiras tem resquícios de agrotóxicos em 22 cidades de SC

Prefeito é investigado por irregularidades no pagamento de horas extras

Hoje de manhã o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpriu três mandados de busca e apreensão na prefeitura de Bom Retiro, na casa e no sítio do prefeito Vilmar José Neckel. Foram recolhidos documentos e computadores. Vilmar é investigado por irregularidades no pagamento de horas extras aos servidores públicos. Na casa dele, também, foi apreendida uma arma sem registro. Por isso acabou preso em flagrante, mas foi liberado após pagar fiança. Por telefone, ele disse que a arma era uma herança do pai. Já sobre as horas extras, ele negou qualquer irregularidade.

:: Festa do Pinhão anuncia atrações nacionais

Eduarda Demeneck

Colunista

Eduarda Demeneck

Os principais acontecimentos de Lages e região.

siga Eduarda Demeneck

Eduarda Demeneck

Colunista

Eduarda Demeneck

Os principais acontecimentos de Lages e região.

siga Eduarda Demeneck

Mais colunistas

    Mais colunistas