nsc
nsc

Análise

Altas de preços de commodities minerais assustam a indústria e elevam a inflação

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
26/05/2021 - 16h16 - Atualizada em: 26/05/2021 - 18h50
Alta das commodities é uma das causas da inflação
Alta das commodities é uma das causas da pressão inflacionária (Foto: Divulgação)

A retomada do crescimento econômico durante a pandemia no Brasil e no mundo gera gargalos de oferta de produtos e pressiona a inflação. Entre os produtos com oferta insuficiente que estão com preços em alta estão as commodities minerais e agrícolas. Entre os maiores reajustes, que estão causando apreensão, estão os que envolvem commodities metálicas, em especial de minério de ferro, com altas acima de 100% em curto período.

SC cria 11 mil empregos em abril, terceiro melhor resultado do país no mês

Uma indústria catarinense que usa aço para alguns componentes dos produtos que fabrica enfrentou alta acumulada no preço desse insumo em quase 142% no período entre janeiro de 2020 e maio deste ano. Outra indústria que usa essa mesma matéria-prima teve reajuste de 60% de dezembro até maio e o fornecedor informou que precisa aumentar mais 25% ainda este ano. As empresas tentam negociar preços menores com fornecedores, mas está difícil.

Fiesc debate reformas, tecnologia e cenários na Semana da Indústria

Levantamento do Projetos da Construção do Ibre/FGV para o Sinduscon de São Paulo apurou que no acumulado de 12 meses até abril, o preço de vergalhões e arames de aço carbono subiram 68,85%, de tubos e conexões de ferro e aço 69,71% e esquadrias de alumínio 32,58%.

Esses custos não afetam apenas a cadeia produtiva da construção, mas as indústrias de máquinas e outras que usam metais como insumos. Essa inflação afeta primeiro a produção e, depois, o consumidor.

A meta de inflação no Brasil para este ano é 3,75%, com variação de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos, mas o mercado já prevê inflação superior a 4%. A média estimada pelos analistas ouvidos para o boletim Focus, do Banco Central, esta semana, é de IPCA de 5,24% este ano, maior que a projeção da semana anterior, de 5,15%. Essa alta inflacionária desequilibra os orçamentos de empresas e famílias, especialmente as que sofrem com a pandemia. O cenário continua sendo de preços em alta.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas