nsc

publicidade

Estela

Negócios

Duratex adquire 100% da Cecrisa por quase R$ 1 bilhão

Compartilhe

Por Estela Benetti
23/05/2019 - 09h48 - Atualizada em: 23/05/2019 - 12h20

A Duratex, líder nacional na produção de painéis de madeira, dona da Deca e da Ceusa no setor de cerâmicas para construção, anunciou aquisição de 100% das ações da Cecrisa Revestimentos Cerâmicos, de Criciúma, empresa que era controlada pelo grupo Vince Partners, ainda com participação de 23% da família fundadora, de Dilor Freitas. Em fato relevante, a Duratex informou que o acordo para aquisição inclui o pagamento de R$ 539 milhões, mais a dívida da companhia de R$ 442 milhões, por isso o valor total é de R$ 981 milhões. O acordo de compra e venda foi anunciado ontem, mas o fechamento do negócio ainda depende de avaliação do Cade.

A principal motivação da aquisição é a marca de porcelanatos de luxo Portinari. A Cecrisa foi fundada pelo industrial Manoel Dilor Freitas em 1966 e sempre investiu na divulgação das suas marcas, especialmente a mais sofisticada. Em 2012, após uma série de negociações em busca de novo sócio, a família vendeu o controle acionário para o fundo Vince Partners.

Este foi o segundo grande investimento recente da Duratex em revestimentos cerâmicos. Em 2017, adquiriu a Ceusa, empresa de Urussanga, Sul de SC, por R$ 280 milhões. Agora, com a aquisição da Cecrisa, fica mais perto das concorrentes Portobello e Eliane, esta última adquirida em outubro do ano passado pela multinacional americana Mohawk por US$ 250 milhões (R$ 927 milhões na época), valor próximo do acertado agora com a Cecrisa.

Segundo a Duratex, dos R$ 539 milhões a serem pagos, R$ 264 milhões serão em dinheiro e possível preço adicional de até R$ 275 milhões será para condições suspensivas, ou seja, caso ocorrerem despesas trabalhistas e tributárias. A Cecrisa tem três fábricas no Brasil, das quais duas em Criciúma e uma em Santa Luzia, Minas Gerais. Conta com 1.700 empregados, capacidade produtiva de 20 milhões de metros quadrados de revestimentos por mês e fechou o ano passado com receita líquida de R$ 652 milhões.

O presidente da Duratex, Antonio Joaquim de Oliveira, disse que a aquisição da Cecrisa é estratégica para a expansão dos negócios da empresa e seu propósito de oferecer soluções para melhor viver.

- Essa aquisição somada à expansão da Ceusa, anunciada anteriormente, traz escala e sinergias importantes para o nosso negócio, deixando a Duratex ainda mais competitiva – afirmou Oliveira.

Em nota, o presidente da Cecrisa, José Zimmermann Junior, informou que essa troca de controlador vai gerar significativos impactos para o setor de revestimentos cerâmicos do Brasil, gerando benefícios aos clientes, fornecedores, profissionais da empresa e comunidades onde ela está presente.

- As políticas e práticas comerciais de maximização de valor e o constante investimento em inovação e desenvolvimento de produtos e serviços serão potencializados, visando estreitar ainda mais os fortes laços existentes entre a Cecrisa, seus Clientes e Fornecedores – afirmou Zimmermann.

Com a Cecrisa, a Duratex, que tem como maiores acionistas a Itausa (Investimentos Itaú SA) com 40% e a Companhia Ligna com 20%, passa a ter uma participação mais forte no segmento de revestimentos cerâmicos, considerado ainda muito pulverizado no Brasil. A companhia atua hoje com a Durafloor; de pisos laminados e LVT; Deca, de louças e metais sanitários; Hidra, de produtos para aquecimento de água e válvulas que adquiriu em 2012 a carinense Thermosystem de Tubarão; Duratex, com painéis de madeira, revestimentos de paredes e forros; e a Ceusa, de revestimentos cerâmicos. A expectativa da Duratex é que, com a compra da Cecrisa, vai alcançar gradualmente sinergias operacionais e administrativas superiores a R$ 250 milhões.

Deixe seu comentário:

Estela Benetti

Estela Benetti

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

estela.benetti@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade