nsc
    nsc

    Mercado internacional

    Exportações de SC caem 9,4% no ano, mas vendas externas de barcos crescem 100% em novembro

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    15/12/2020 - 18h57 - Atualizada em: 16/12/2020 - 00h44
    Lancha Schaefer 660, que foi exportada recentemente
    Lancha Schaefer 660, que foi exportada recentemente (Foto: Schaefer, Divulgação)

    Apesar do impacto negativo da crise do novo coronavírus pelo mundo, as exportações catarinenses estão melhorando gradativamente. No período de janeiro a novembro, as vendas externas do estado totalizaram US$ 7,447 bilhões, com queda de 9,4% frente ao mesmo período de 2019. Em novembro, SC obteve com exportações US$ 683 milhões, com alta de 0,6% frente ao mesmo mês do ano passado. O principal destino foi os Estados Unidos, com crescimento de 30% frente ao mesmo mês do ano anterior. Além disso, chamou a atenção o crescimento de 100% nas exportações de barcos e iates no mês, também em relação ao mesmo período de 2019.

    Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia e foram organizados pelo Observatório da Indústria, da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc). Em novembro, as importações cresceram 43,1% frente ao mesmo mês do ano passado e alcançaram US$ 1,8 bilhões. No ano, alcançaram US$ 14,112 bilhões, o que representou US$ 6,664 bilhões a menos do que no mesmo período de 2019.

    Por que o Cofem, que representa o setor produtivo de SC, gostaria de ser mais ouvido

    Nas exportações, em novembro, o grande destaque continuou sendo a carne suína, que é o produto que garantiu maior faturamento lá fora, US$ 99,46 milhões e um crescimento de 28% frente ao mesmo mês de 2019. O segundo produto foi carne de frango, que alcançou faturamento de US$ 88,20 milhões, mas teve queda de 29,1%. Em terceiro lugar ficaram partes de motores, com receita de US$ 29,50 milhões e retração de 14,2%.

    Depois, em quarto lugar, ficaram móveis de madeiras e partes, com US$ 28,52 milhões e crescimento de 18,5%. Em quinto lugar, chamou a atenção o setor de barcos de pesca, navios-fábricas e outras embarcações, com receita de US$ 27,26 milhões e crescimento de 100% na comparação com novembro do ano passado.

    O dado da balança comercial comprova uma diversificação de produtos náuticos fabricados em Santa Catarina, com a inclusão de navios-fábricas. Mas um destaque do setor são os iates de passeio, que tiveram crescimento de vendas no mundo todo e os diversos estaleiros catarinenses que fabricam esses itens aproveitaram para exportar, considerando também o dólar alto.

    O estaleiro Schefer Yachts, de Florianópolis, registrou este ano crescimento de 30% das exportações frente a 2019, informou Igor Phelippe, gestor de vendas externas da empresa. Segundo ele, a principal virada começou em junho porque a demanda mundial cresceu e a maioria dos estaleiros não tinha capacidade de ampliar a produção. O Schaefer foi um dos que conseguiram fabricar mais.

    - Para nós, foi até uma surpresa. Depois da pandemia, a gente teve um grande salto de exportações, principalmente para os Estados Unidos, Paraguai e Dubai. Vendemos também para o Canadá e o Japão – afirmou Phelippe, ao destacar que a procura é por embarcações de diversos portes.

    Quem também aumento as exportações de embarcações de lazer foi a filial do estaleiro italiano Azimut Yachts, de Itajaí. Atualmente, vende no exterior 20% da produção, mas está ampliando para chegar a 35%. Além dos EUA, a empresa vende para outros países da América Latina. No mercado global, o grupo italiano Azimut-Benetti destina 50% da produção para as Américas, 29% para a Europa, 14% para o Oriente Médio e 7% para a Ásia-Pacífico.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas