nsc
nsc

Prevenção à Covid-19

Federações apresentam medidas para a volta do transporte coletivo, mas governo mantém suspensão 

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
20/05/2020 - 11h34
Ônibus do transporte coletivo de Florianópolis Foto: Felipe Carneiro, BD NSC Tota
Ônibus do transporte coletivo de Florianópolis Foto: Felipe Carneiro, BD NSC Total

Um dos poucos setores ainda parados desde o início do isolamento social em Santa Catarina - dia 18 de março – é o transporte coletivo, que segue pressionando por uma retomada, mesmo com restrições. O argumento é que as principais cidades do mundo mantiveram seus transportes coletivos com limitação de uso durante a pandemia. Mas o secretário da Fazenda, Paulo Eli, que coordena o grupo econômico do Estado sobre decisões em relação ao coronavírus, diz que ainda não há prazo para retomada do transporte.

Segundo ele, o Estado monitora vários indicadores e o número de casos detectados só mostra que a contaminação está se generalizando lentamente em Santa Catarina.

-Estamos fazendo testes na população. O número de óbitos por milhão de habitantes e o estudo sobre cada óbito é o que importa. Estamos atentos a óbitos por milhão e disponibilidade de leitos. Nesses indicadores, estamos muito bem em relação aos demais estados e ao mundo - explica Paulo Eli.

O Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (Cofem) e o Sebrae-SC enviaram ofício ao secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Augusto Vieira, sugerindo um conjunto de medidas de segurança que permita a retomada do setor.

O documento encaminhado nesta segunda-feira (18/05), foi assinado pelos presidentes das federações das indústrias (Fiesc), do comércio (Fecomércio), da agricultura (Faesc), dos transportes (Fetrancesc), das associações empresariais (Facisc), das câmaras de dirigentes lojistas (FCDL) e das micro e pequenas empresas (Fampesc).

Entre as medidas estão uso de máscara, ocupação de 70% da capacidade dos ônibus e higienização.

Veja a lista de sugestões das entidades:

1 - As empresas de transporte deverão providenciar, diariamente, a higienização dos veículos de transporte público urbano, no momento de sua chegada ou saída das garagens;

2 - Nos terminais de ônibus urbanos, obrigatoriamente, deverá ser adotado procedimento de higienização dos respectivos veículos de transporte;

3 - Todos os veículos deverão trafegar com as janelas abertas ou, na impossibilidade, deverão ser adotados meios de circulação do ar que garanta seu fluxo de renovação contínuo;

4 - A lotação máxima de cada veículo será de até 70% de sua capacidade;

5 - Todos os terminais e veículos deverão disponibilizar recipientes com álcool em gel 70% para uso indistinto do público em geral;

6 - Obrigatoriamente, todos os cobradores e motoristas deverão usar máscara de forma permanente;

7 - Será obrigatório o uso de máscara pelos usuários do transporte coletivo urbano;

8 - Proibir o uso dos veículos urbanos às pessoas com mais sessenta (60) anos de idade, por pertencerem, naturalmente, ao grupo de risco;

9 - Deixar sob a responsabilidade de cada município a elaboração do regulamento de funcionamento de seus respectivos terminais, quando houver.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas