nsc
    nsc

    Potencial de consumo 2020

    Florianópolis lidera consumo em SC, mas cidades médias se destacam

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    22/06/2020 - 13h14 - Atualizada em: 22/06/2020 - 13h26
    Centro de Florianópolis com o comércio aberto Foto: Tiago Ghizoni
    Centro de Florianópolis com o comércio aberto Foto: Tiago Ghizoni

    A crise causada pelo novo coronavírus deve reduzir em R$ 15,1 bilhões o potencial de consumo catarinense este ano, passando de R$ 221,3 bilhões em 2019 (4,72% do total nacional) para R$ 206,1 bilhões (4,62%). A projeção é do estudo IPC Maps 2020, que analisa potencial de consumo das cidades brasileiras. Neste ano, Florianópolis supera Joinville nessa análise comparativa, feita com dados oficiais do país e estimativa de perda de 5,89%. Segundo o estudo, a Capital terá capacidade de consumo de R$ 19,11 bilhões, frente a R$ 17,57 bilhões no ano anterior. E um grupo de cidades de porte médio mostra a força da diversificação urbana e econômica de SC.

    Com maior impacto da pandemia, Joinville vai deixar o topo do ranking. Segundo o IPC Maps, o município mais populoso de SC (mais de 600 mil habitantes) gastará este ano R$ 17,62 bilhões, após alcançar no ano passado R$ 21,68 bilhões e, no ano anterior (2018), R$ 19,69 bilhões. Blumenau, terceira maior cidade catarinense, deve consumir este ano R$ 12,84 bilhões. Juntas, essas três maiores cidades terão R$ 49,57 bilhões, controlando cerca de 25% da renda estadual.

    No estudo, chama a atenção em Santa Catarina também a força de consumo das cidades médias, mostrando a relevância regional da economia que é a mais bem distribuída do Brasil. O levantamento mostra seis cidades com potencial de consumo entre mais de R$ 8 bilhões e R$ 6 bilhões. Nesse grupo estão São José, com potencial de consumo de R$ 8,44 bilhões, seguido por Itajaí (R$ 6,73 bi), Chapecó (R$ 6,47 bi), Criciúma (R$6,46 bi), Jaraguá do Sul (R$ 6,06 bi) e Balneário Camboríú (R$ 5,96 bi). Juntas, essas seis somam renda de R$ 40,12 bilhões.

    SC conta, também, com 17 cidades que têm poder de consumo superior a R$ 1 bilhão. Na outra ponta, entre as cidades catarinenses com menor renda estão os pequenos municípios como Macieira, Santiago do Sul e Flor do Sertão.

    Número de empresas cai 7,8% em SC

    O estudo INP Maps estimou também uma queda de 7,8% no número de empresas este ano em Santa Catarina devido à pandemia. A base de comparação é o mês de abril frente ao mesmo período do ano passado. Essa projeção é feita com base em dados do Ministério da Economia, RAIS e Ministério do Trabalho, além de consultas à Receita Federal.

    A estimativa aponta que a menor variação de fechamento de empresas será em Florianópolis, com -7,7% em 2020 frente a 2019. SC terá redução de 7,8% enquanto no Brasil serão fechadas 13,1% das empresas. Segundo o coordenador do estudo, Marcos Pazzini, sócio da IPC Marketing Editora, o setor de comércio está puxando o fechamento de empresas no Brasil, com um recuo médio de 20% frente a 2019.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas