nsc
    nsc

    Tecnologia

    Hub de inovação aberta de Florianópolis aproxima startups de empresas

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    30/03/2021 - 08h40
    tter e Marcus Rocha, empreendedores da 2Grow
    Elisa Fernandes, Gabriela Gretter e Marcus Rocha, empreendedores da 2Grow (Foto: Fernando Villadino, Divulgação)

    Empresas de diversos setores econômicos podem acelerar a adoção de tecnologias de ponta por meio de inovação aberta. Florianópolis acaba de ganhar novo negócio com esse objetivo, a 2Grow Habitat de Inovação, especializada em aproximar startups de empresas de setores mais tradicional, decididas em inovar com rapidez. O CEO Marcus Rocha afirma que o plano é trabalhar com dez startups escaláveis na primeira fase.

    Empreendedores terão auxílio emergencial do governo de SC

    Empresário do setor de tecnologia e professor universitário, Rocha deixou recentemente o cargo de superintendente de Tecnologia da Prefeitura de Florianópolis. Para sócias do novo projeto, ele convidou a administradora Gabriela Gretter, que atuou em grandes empresas de SC, e Elisa Fernandes, do setor de comunicação, que trabalhou nos EUA na MTV e em entidades empresariais brasileiras.

    Totvs compra a catarinense RD por R$ 2 bilhões, o maior negócio de TI da América Latina

    2W Energia compra catarinense Way2 por R$ 79 milhões

    - O tempo hoje é crucial, principalmente para desenvolver novos produtos. O modelo de negócio de startups é bom para setores econômicos tradicionais porque elas são abertas para crescimento rápido, em larga escala. Essas empresas precisam investir em inovação e chegar mais perto desse ecossistema. Se não, vão ficar estagnadas e estagnação é uma sentença de morte – adverte o CEO.

    Instalada em edifício da região continental com vista para a Baía Norte, a empresa vai atrair startups que têm soluções para resolver desafios de empresas tradicionais de diversos setores. Conforme o empresário, essas startups contarão com diversos serviços para desenvolver suas operações e, assim, poderão priorizar apenas as suas atividades principais, de soluções tecnológicas para outras empresas.

    - Temos muitas indústrias interessadas em ingressas no ecossistema de inovação, mas a maior parte não sabe como. Ainda baseiam sua inovação em laboratórios próprios de pesquisa, só que eles são lentos, caros e nem sempre conseguem o resultado necessário. Existem também consultorias de inovação que não falam a língua desses empresários. Por isso vemos um mercado potencial para ajudar a inserir essas empresas no setor de inovação – explica Rocha.

    Segundo ele, a 2Grow é uma escaladora de startups, isto é, tem o objetivo de escalar, no mercado, soluções que já estão prontas. O conceito usado é o de desenvolvimento de negócios, com investimento em startup a partir de uma conexão com uma empresa tradicional, construindo negócios escaláveis, o que se chama de venture builder.

    A 2Grow está conversando com dez startups para a primeira etapa de atividades. Cada uma deve ficar na empresa cerca de dois anos. Pelo modelo de negócio, a participação da 2Grow em cada nova empresa de tecnologia deve ficar entre 4% a 8% do capital.

    Sobre oportunidades no mercado catarinense, os sócios da 2Grow avaliam que entre os setores que podem oferecer mais oportunidades à empresa estão metalmecânico, têxtil e agronegócio. Oportunidades fora do Estado também estão no radar da nova empresa.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas