nsc
nsc

Tecnologia

Hub de inovação aberta de Florianópolis aproxima startups de empresas

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
30/03/2021 - 08h40
tter e Marcus Rocha, empreendedores da 2Grow
Elisa Fernandes, Gabriela Gretter e Marcus Rocha, empreendedores da 2Grow (Foto: Fernando Villadino, Divulgação)

Empresas de diversos setores econômicos podem acelerar a adoção de tecnologias de ponta por meio de inovação aberta. Florianópolis acaba de ganhar novo negócio com esse objetivo, a 2Grow Habitat de Inovação, especializada em aproximar startups de empresas de setores mais tradicional, decididas em inovar com rapidez. O CEO Marcus Rocha afirma que o plano é trabalhar com dez startups escaláveis na primeira fase.

Empreendedores terão auxílio emergencial do governo de SC

Empresário do setor de tecnologia e professor universitário, Rocha deixou recentemente o cargo de superintendente de Tecnologia da Prefeitura de Florianópolis. Para sócias do novo projeto, ele convidou a administradora Gabriela Gretter, que atuou em grandes empresas de SC, e Elisa Fernandes, do setor de comunicação, que trabalhou nos EUA na MTV e em entidades empresariais brasileiras.

Totvs compra a catarinense RD por R$ 2 bilhões, o maior negócio de TI da América Latina

2W Energia compra catarinense Way2 por R$ 79 milhões

- O tempo hoje é crucial, principalmente para desenvolver novos produtos. O modelo de negócio de startups é bom para setores econômicos tradicionais porque elas são abertas para crescimento rápido, em larga escala. Essas empresas precisam investir em inovação e chegar mais perto desse ecossistema. Se não, vão ficar estagnadas e estagnação é uma sentença de morte – adverte o CEO.

Instalada em edifício da região continental com vista para a Baía Norte, a empresa vai atrair startups que têm soluções para resolver desafios de empresas tradicionais de diversos setores. Conforme o empresário, essas startups contarão com diversos serviços para desenvolver suas operações e, assim, poderão priorizar apenas as suas atividades principais, de soluções tecnológicas para outras empresas.

- Temos muitas indústrias interessadas em ingressas no ecossistema de inovação, mas a maior parte não sabe como. Ainda baseiam sua inovação em laboratórios próprios de pesquisa, só que eles são lentos, caros e nem sempre conseguem o resultado necessário. Existem também consultorias de inovação que não falam a língua desses empresários. Por isso vemos um mercado potencial para ajudar a inserir essas empresas no setor de inovação – explica Rocha.

Segundo ele, a 2Grow é uma escaladora de startups, isto é, tem o objetivo de escalar, no mercado, soluções que já estão prontas. O conceito usado é o de desenvolvimento de negócios, com investimento em startup a partir de uma conexão com uma empresa tradicional, construindo negócios escaláveis, o que se chama de venture builder.

A 2Grow está conversando com dez startups para a primeira etapa de atividades. Cada uma deve ficar na empresa cerca de dois anos. Pelo modelo de negócio, a participação da 2Grow em cada nova empresa de tecnologia deve ficar entre 4% a 8% do capital.

Sobre oportunidades no mercado catarinense, os sócios da 2Grow avaliam que entre os setores que podem oferecer mais oportunidades à empresa estão metalmecânico, têxtil e agronegócio. Oportunidades fora do Estado também estão no radar da nova empresa.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas