nsc
nsc

Doações à comunidade

Investimentos privados em praças e parques seguem em alta em SC

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
15/05/2021 - 16h51 - Atualizada em: 15/05/2021 - 21h55
Revitalização da Praça Nossa Senhora de Fátima, no Estreito, em Florianópolis, foi entregue quinta-feira para a comunidade
Revitalização da Praça Nossa Senhora de Fátima, no Estreito, em Florianópolis, foi entregue quinta-feira para a comunidade (Foto: WKoerich, Divulgação)

A Praça Nossa Senhora de Fátima, a principal do Bairro Estreito, em Florianópolis, acaba de abrir ao público com novo paisagismo. O investimento foi da construtora WKoerich, que já renovou mais de 30 espaços públicos na Capital. E em Jaraguá do Sul, a prefeitura fez evento para agradecer doações privadas e da Justiça ao novo Parque da Inovação, que será inaugurado em breve. Joinville e Chapecó também estão entre as cidades com programas de adoção de praças e outros espaços públicos.

> Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

Santa Catarina é referência de estado com belas cidades. Isso resulta da cultura dos seus habitantes e projetos de prefeituras mas, cada vez mais, registra o avanço da participação privada na adoção e manutenção de espaços públicos em programas permanentes formalizados em leis com esse objetivo. Em Florianópolis a lei municipal para adoção de praças e outros espaços é de 1987, vai fazer 34 anos, e diversas empresas participam.

O empresário Walter Silva Koerich, o Waltinho, que lidera esses projetos na WKoerich, reconhece que o poder público tem muitas demandas, por isso é importante colaborar. Reforçando a pareceria com o poder público, o prefeito Gean Loureiro foi um dos poucos convidado para o restrito evento de inauguração da reforma da Praça Nossa Senhora de Fátima, quarta-feira. Também participaram o casal fundador da empresa Walter e Linda Koerich, com o filho Waltinho e a arquiteta Juliana Castro, responsável pelo projeto.

Prefeito Gean Loureiro (D) e os empresários Walter e Linda Koerich, Waltinho e Ana na inauguração da praça
Gean Loureiro (D) e os empresários Walter e Linda Koerich, Waltinho e Ana na inauguração da Praça Nossa Senhora de Fátima. Foto: Divulgação
(Foto: )

Entre os espaços já adotados pela WKoerich estão as praças Celso Ramos e Getúlio Vargas, mirante da Ponte Hercílio Luz e jardins da Escola Padre Achieta. A empresa varejista Koerich, da família de Antônio Koerich, também adota espaços públicos. Um deles é famosa Praça XV, no Centro da Capital.

Projeto parado à espera do Iphan

- Não revelamos valores investidos, mas a gente já ganhou muito com isso. A nossa maior moeda de troca é passar e ver as praças cheias. A gente ama Floripa e sabe que precisa continuar fazendo alguma coisa por ela para continuar vivendo bem. A beleza natural da cidade ajuda muito e, se cada um ajudar um pouquinho, tudo avança – explica Waltinho Koerich.

Prjeto da Praça Forte São Luís
Projeto da Praça Forte São Luís, em frente ao Beiramar Shopping, em Florianópolis, espera decisão do Iphan para execução
(Foto: )

O empresário espera que seja destravado em breve o nó que impede de executar o projeto da Praça Forte São Luís, no terreno que era do Exército, em frente ao Beiramar Shopping, em Florianópolis. O projeto foi lançado em novembro de 2019, mas parou para investigação sobre eventual patrimônio subterrâneo do forte. Essa análise ficou a cargo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan-SC) e ainda não teve um parecer final.

Entre os projetos em andamento em Florianópolis está a revitalização da Praça Santos Dumont, também conhecida como Praça da Trindade, que integra o conjunto arquitetônico histórico da Igrejinha da UFSC e da Igreja Matriz da Paróquia Santíssima Trindade. Quem adotou a praça foi a Dimas Construções e o projeto, assinado pelo escritório Desterro Arquitetos, será finalizado em novembro.

Futuro visual da Praça Santos Dumont
Praça Santos Dumont é revitalizada pela Dimas Construções
(Foto: )

Segundo o diretor da empresa, Daniel Dimas, a revitalização de espaços públicos é uma prática da construtora em todos os empreendimentos que lança. Normalmente, praças e espaços públicos próximos são os contemplados.

Parque de Inovação em Jaraguá

Em Jaraguá do Sul, o programa Adote do Verde, lançado em 2018, já conta com 60 espaços adotados pelo setor privado. Neste mês, a prefeitura está finalizando os preparativos para abrir ao público o novo Parque da Inovação, que recebeu investimento de quase R$ 6 milhões. Desse montante, R$ 4,15 milhões vieram do município, R$ 1,1 milhão foram doados pelo casal de empresários Décio e Denyse da Silva, acionistas da WEG, e R$ 250 mil tiveram origem em termo de ajuste de conduta do Ministério Público de SC com uma empresa.

Novo Parque da Inovação, em Jaraguá do Sul, tem 210 mil metros quadrados
Novo Parque da Inovação, em Jaraguá do Sul, tem 210 mil metros quadrados
(Foto: )

O novo parque recebeu esse nome por estar próximo do Centro de Inovação e do polo universitário da cidade. Em área de 210 mil metros quadrados, conta com espaço de lazer, flores, obras de arte ao ar livre, jardim sensorial, quadras para futebol, vôlei, basquete, churrasqueiras, ciclovia e pista para caminhar. Para o prefeito Antídio Lunelli, o novo parque será importante alternativa de lazer das famílias e também um espaço para pensar inovações, em sintonia com o próprio nome do empreendimento.

Prefeitura faz homenagem a doadores
Prefeito Antídio Lunelli, vice-prefeito Jair Franzner, Denyse e Décio da Silva durante a homenagem aos doadores ao Parque da Inovação
(Foto: )

Joinville tem 328 espaços adotados

Na maior cidade do Estado, Joinville, o programa de adoção de praças é o Parceria Verde. O embelezamento da “Cidade das Flores”, um dos títulos tradicionais em função da Festa das Flores e de muitos orquidários no município, foi promessa de campanha do prefeito Adriano Silva. Isso porque a maioria achava que a cidade ficou descuidada na gestão anterior, de Udo Döhler.

Quando assumiu, Silva lançou a iniciativa “Joinville Mais Bonita”. O programa Parceria Verde, que conta atualmente com 328 espaços públicos adotados, é desenvolvido desde 1998 no município. Empresas, escolas, associações e outras organizações podem fazer reformas ou assumir a conservação de praças, parques, áreas de lazer, jardins, rotatórias ou canteiros. Em contrapartida, podem expor no local as suas marcas. Um dos projetos revitalizados este ano com o apoio da iniciativa privada foi o Parque das Águas, na Rua XV de Novembro, ao lado da Cidadela Antarctica.

Parque das Águas, na Rua XV de Novembro, em Joinville, que acaba de ser revitalizado
Parque das Águas, na Rua XV de Novembro, em Joinville, que acaba de ser revitalizado
(Foto: )

Memorial em homenagem à Chape foi doação

O programa Adote uma Praça, de Chapecó, foi criado em lei municipal em 2018. O objetivo é promover a urbanização, manutenção e conservação de praças, canteiros centrais, rotatórias, parques infantis, áreas de ginástica e de lazer no município. Podem participar empresas privadas, entidades não governamentais e outras instituições.

Entre os espaços adotados pelo setor privado, um é o Átrio Daví Barela Dávi, homenagem às vítimas da tragédia do avião da Chapecoense, que caiu em Medellín, na Colômbia, dia 29 de novembro de 2016, deixando 71 mortos e seis feridos. Criado pela construtora Nostra Casa, junto à Arena Condá, o átrio conta com uma fonte e um mapa da América do Sul, no qual luzes mostram as localizações de Chapecó e Medellín.

Átrio Daví Barela Dávi, em homenagem à Chapecoense, foi doação de uma construtora
Átrio Daví Barela Dávi, em homenagem à Chapecoense, foi doação de uma construtora
(Foto: )

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas