nsc
    nsc

    Empréstimos na pandemia

    Microcrédito cresce 12,7% na Região Sul e terá a linha emergencial em SC

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    08/04/2021 - 18h14
    Isabel Baggio, presidente do Banco da Família
    Isabel Baggio, presidente do Banco da Família, maior instituição de microcrédito da Região Sul (Foto: Banco da Família, Divulgação)

    O setor de microcrédito, que opera com linhas de crédito para pequenos negócios formais e informais, encerrou 2020 com crescimento de 12,7% frente ao ano anterior na Região Sul. Líder desse setor financeiro no Brasil, Santa Catarina vai operar em breve a nova linha de crédito emergencial do governo estadual, que prevê empréstimos de até R$ 10 mil.

    No ano passado, o setor emprestou para pequenos negócios na Região Sul R$ 368 milhões, mais que o dobro da região Nordeste, que é o segundo polo do país e emprestou R$ 135 milhões. Os dados são da Associação Brasileira de Entidades Operadoras de Microcrédito e Microfinanças (Abcred). Segundo a entidade, em função da pandemia, a expansão do ano passado foi inferior a de 2019, quando alcançou 30,5%.

    A liderança nacional de SC resulta da atuação de 15 instituições, que formalmente são Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips) em atividade há mais de 20 anos. A maioria foi fundada a partir de programa estadual de microcrédito implantado no governo de Esperidião Amin (1999-2002). Estão presentes com agencias ou pontos de atendimento em diversas cidades catarinenses e em cidades dos estados vizinhos.

    A maior instituição do Sul do país é o Banco da Família, de Lages. Segundo a presidente Isabel Baggio no ano passado o banco emprestou R$ 106,5 milhões em 24.228 operações, 28% mais do que no ano anterior. Para 2021, o plano é crescer. Além do microcrédito produtivo e orientado, o Banco da Família empresta também para pequenas reformas e outros projetos. Atua em 132 municípios dos três estados do Sul.

    - Criamos um produto específico e buscamos parcerias com associações comerciais para chegar a empreendedores que enfrentavam dificuldades provocadas pela pandemia, mas que muitas vezes precisavam apenas de um reforço temporário para organizar os negócios e seguir em frente - disse Isabel Baggio, ao observar que essa foi a demanda que mais cresceu em 2020.

    No microcrédito, pequenos negócios postergam parcelas ou buscam empréstimos

    A Crecerto, de Concórdia, que completa 20 anos neste sábado, também mudou estratégias para atender mais empresas na pandemia. A maioria buscou recursos para capital de giro. Considerando as duas décadas da instituição, o presidente Márcio Rossini informa que foram realizadas mais de 40 mil operações de crédito que totalizaram valor de R$ 245 milhões. Nos últimos anos, a Crecerto também ampliou o número de agências e abrange 150 municípios de SC, Rio Grande do Sul e Paraná.

    Para que pequenas empresas possam enfrentar melhor a pandemia, o governo catarinense acaba de anunciar linha emergencial de crédito de até R$ 10 mil para microempreendedores. Essa linha será operada pelas Oscips de microcrédito em SC. As condições específicas para esse financiamento ainda não estão definidas.

    Mais colunistas

      Mais colunistas