nsc
    nsc

    Tecnologia

    Negócio no mesmo ecossistema: startup de logística recebe aporte de fundo regional

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    07/08/2020 - 06h03 - Atualizada em: 07/08/2020 - 15h23
    Fábio Nunes (E) e Marcos Arante, fundadores da Equilibrium
    Fábio Nunes (E) e Marcos Arante, fundadores da Equilibrium (Foto: Divulgação)

    O ciclo virtuoso de um ecossistema de tecnologia completo avança em Santa Catarina. O mais novo exemplo é o aporte de R$ 1 milhão do fundo Invisto na startup de logística Equilibrium, que tem pouco mais de um ano de atuação e já incluiu entre seus clientes grandes grupos do comércio. Ambas integram o ecossistema de Florianópolis.

    Empresas de tecnologia do Vale têm mais de 300 vagas abertas

    Um dos fatos que pesaram na decisão do investimento foi a amizade entre o CEO da Invisto, Marcelo Wolowski, e os sócios-fundadores da Equilíbrim, Marcos Arante e Fábio Nunes. Eles se conheceram nas reuniões da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate). Outro fato é que a Equilibrium está crescendo rápido na área que escolheu. A participação no LinkLab Acate permitiu a ela conquista de clientes como Havan, Grupo Pereira (Fort Atacadista), Hippo Supermercados e Clamed (farmácias Preço Popular e Drogaria Catarinense).

    Marcos Arante informa que ele e o sócio ingressaram na área de logística porque é um setor com grande potencial e a pandemia evidenciou ainda mais isso. No Brasil, movimenta cerca de R$ 250 bilhões por ano. A Equilibrium começou com oferta de inteligência artificial. É uma plataforma de digital supply chain.

    -A gente conecta empresas que precisam transportar carga com operadores logísticos. Hoje, basicamente, qualquer um que tem um carro e um aplicativo na mão pode ser um operador logístico. Quando se coloca isso numa escala maior, vai desde uma grande transportadora até uma empresa de transporte aéreo. O objetivo é que o cliente tenha uma experiência boa – observa Marcos Arante.

    Antes de ingressar no setor de tecnologia, ele atuou por 15 anos em grandes empresas, entre as quais a ArcelorMittal, em São Francisco do Sul, onde trabalhou na área de logística. Fábio Nunes teve atuação maior em tecnologia. Havia acabado de sair de um negócio do qual foi empreendedor em São Paulo.

    O desafio da startup que fundaram é oferecer logística de qualidade e o trabalho já abrange quase todo o Brasil. Com o aporte de R$ 1 milhão, o objetivo será aprimorar o sistema de inteligência da startup que já conta com equipe de 12 pessoas.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas