nsc

publicidade

Estela

Administração

Neoway antecipa troca de CEO 

Compartilhe

Por Estela Benetti
10/09/2019 - 18h23 - Atualizada em: 11/09/2019 - 04h17

Desde o início de agosto, o empresário Jaime de Paula não é mais o presidente da Neoway, empresa que fundou em 2002 e hoje é líder no mercado brasileiro em Big Data Analytics. A mudança estava prevista, mas foi antecipada pelo conselho de administração da empresa após a mesma ser mencionada em conversas do coordenador geral da força-tarefa da Lava-Jato, Deltan Dallagnol, no final de julho, conforme escutas publicadas pelo The Intercept e pela Folha de S. Paulo. Nesse período, também foi divulgado que a empresa foi mencionada pelo lobista Jorge Luz, investigado em processo que envolve a Petrobras.

A Neoway diz que ficou sabendo sobre as informações em relação a Dallagnol e Luz pela mídia. Mesmo assim, promoveu um dos seus executivos, o diretor de Operações Carlos Eduardo Monguilhott, o Kadu, para ser o CEO interino. Com o objetivo de avaliar os controles internos e ter as melhores práticas, a companhia contratou uma auditoria externa para avaliar seus procedimentos, a Koury Lopes Associados (KLA), informou o novo CEO.

— Eu estou na Neoway há sete anos, atuava em área próxima aos clientes. De 2017 para cá, a gente começou um processo porque precisaríamos de um time forte para manter o ritmo de crescimento anual de 50% a 75%. Estávamos num processo muito próximo de fazer essa transição. No momento em que a notícia saiu, o Jaime, desde o início decidiu se afastar e deixar o pessoal que estava aqui na empresa tocando o barco – afirmou Monguilhott.

Para o cargo de presidente do conselho de administração, que também era ocupado por Jaime de Paula, os conselheiros nomearam o americano Andrew Prozes, acionista da Neoway e ex-CEO da LexisNexis. Segundo o CEO, o plano é manter o ritmo de crescimento previsto, abrir capital na Nasdaq e quem sabe, se tornar um novo unicórnio brasileiro (empresa de tecnologia que atinge valor de mercado de US$ 1 bilhão)

O empresário Jaime de Paula informa que, no momento, está estudando oportunidades na área de inteligência artificial.

— O afastamento estava previsto, inclusive para a entrada do Kadu, que está há mais de três anos conosco. Mantenho todas minhas ações da Neoway e, agora, a minha ideia é investir na área de inteligência artificial (IA) e digital – afirmou Jaime de Paula por Whatsapp.

Ele admite que pode abrir uma nova empresa e também optar por outras formas de investimentos. Quem conhece o empresário tem certeza que ele não vai se aposentar. Já fez uma tentativa, de viver na Flórida jogando tênis, mas detestou e voltou ao batente.

Desde que passou a buscar capital para acelerar expansão, a Neoway passou por três rodadas de investimentos que totalizaram US$ 105 milhões. Por isso, entre os seus sócios estão Accel Partners, Monashees, Endeavor Catalysti, PointBreak, Pollux Andrew Prozes e Temasek.

Confira entrevista com o novo CEO da Neoway, Carlos Eduardo Monguilhott

Novo CEO
Carlos Eduardo Monguilhott
(Foto: )

“Estamos crescendo há 10 trimestres consecutivos”

O sucessor de Jaime de Paula na presidência da Neoway é o economista Carlos Eduardo Monguilhott. Graduado pela Universidade da Califórnia, em Davis, ele é natural de Florianópolis e está na empresa há quase sete anos. Antes de assumir o posto de CEO era diretor de Operações (COO).

O que motivou a mudança na presidência da empresa?

- Eu estou na Neoway há sete anos, atuava em áreas próximas dos clientes. De 2017 para cá, a gente começou um processo porque precisaríamos de um time forte para manter o ritmo de crescimento anual de 50% a 75% nos próximos cinco anos. Estávamos num processo de desenvolvimento de liderança, muito próximo de fazer essa transição. No momento em que a notícia saiu (no The Intercept), o Jaime, desde o início, se afastou. O conselho decidiu adotar uma frente pró-ativa para que pudéssemos tomar as melhores decisões possíveis. Uma delas foi contratar uma auditoria externa para fazer uma auditoria interna. Além disso, o Andrew Prozes foi escolhido para presidente do conselho da empresa. Ele vai estar bem próximo. Eu me reporto para ele diretamente.

Qual é o objetivo da contratação de auditoria da KLA?

O objetivo é avaliar nossos controles e processos. A gente cresceu muito rápido, por isso a gente quer um controle maior para estar up to date possível para garantir esse crescimento de 50% a 75% nos próximos cinco anos. Essa auditoria e todos os demais controles internos são para a gente chegar a esse crescimento almejado para garantir a sustentação da empresa nos próximos anos.

Qual é a posição da empresa diante do fato de ter sido mencionada na Lava-Jato e sobre a palestra do procurador Deltan Dallagnol?

- A empresa nunca foi citada. Ficamos sabendo desse assunto no momento que saiu a notícia na Folha. Até agora não tivemos acesso a processo que dizem que existe e sobre o conteúdo das conversas que dizem que existiram, mas que a gente não tem controle. Como não formos notificados até agora, estamos fazendo tudo o que podemos internamente para garantir que aqui dentro de casa estamos respaldados e que não vamos ter nenhuma surpresa. Sobre a palestra do procurador Deltan Dallagnol, nós fizemos a contratação dele como palestrante, como fizemos convidados para o nosso evento. E a contratação da Neoway pela Petrobras Distribuidora foi uma decisão extremamente técnica.

A Neoway obteve investimentos que somam U$S 105 milhões de dólares em três rodadas. Vocês podem recebe ainda mais?

A gente sempre está em estágio de investimento. Uma coisa legal que conseguimos na Neoway foi uma operação orgânica altamente sustentável, com um caixa que se sustenta. Todas as rodadas que a gente faz são para acelerar estágios de crescimento. Então a gente está acelerando um investimento para a estrutura de Go to market (plano de ação ao mercado) outra para a tomada de decisões, então a gente sempre está aberto para trazer parceiros novos que possam nos ajudar em novas etapas de crescimento. Nós sempre fomos fortes em tecnologia, por isso estamos com estratégias voltadas ao mercado.

O conselho tem um prazo para efetivar o senhor no cargo de CEO?

Eu sou o CEO interino. Acho necessário um processo de maturação, por mais que a gente estivesse trabalhando essa questão de lideranças. Apesar de eu estar muito ligado às operações do dia a dia, o conselho vai ter um tempo para decidir isso. Vou estar muito próximo do presidente do conselho, Andrew Prozes, porque ele ficará uma semana por mês no Brasil com a gente. Não temos pressa porque o time já estava trabalhando em conjunto.

Como está o plano para abrir capital na Nasdaq?

A gente quer manter esse crescimento forte de 50% a 75% ao ano. A gente entende que uma abertura de capital é consequência do que a gente vem fazendo na empresa. Santa Catarina vai sempre estar no nosso coração e estaremos trazendo investimentos para casa, para trazer inovação aos nossos produtos, aos nossos clientes e para Santa Catarina como um todo.

Falando em Santa Catarina, como vocês estão no Estado? Quantas pessoas trabalham aqui?

A gente está com um total de 450 pessoas. Especificamente em Santa Catarina temos cerca de 250. Grande parte do nosso time aqui é de desenvolvimento de produto. A gente tem um plano grande de contratações para este ano e no ano que vem, quando queremos chegar a 700 funcionários. Então, temos bastante investimento para fazer, tanto no evento que a gente faz anualmente trazendo grandes empresas, quanto contratando mais profissionais qualificados, sempre elevando a barra da cidade de Floripa e do Estado de Santa Catarina.

A Neoway é apontada como um dos próximos unicórnios do Brasil. Quando vocês chegarão lá?

Só o mercado para falar isso para a gente (Unicórnio é chamada a empresa que chega a US$ 1 bilhão de valor de mercado). Pode ter certeza que vai ser um marco importante para a empresa, vai acontecer em breve, mas isso é só um marco. Acho que os nossos objetivos são muito maiores do que esse. Acho que estamos muito perto, mas não vamos parar por aí não.

Como está o atual momento da empresa?

Eu acho que a gente está no melhor momento de crescimento da nossa história. Este ano, 2019, vem sendo um ano maravilhoso para a Neoway. Isso deve ser visto com muito orgulho para Florianópolis e Santa Catarina. Estamos expandindo no Brasil, expandindo fora. Estamos crescendo há 10 trimestres consecutivos. O último trimestre foi o de maior crescimento absoluto da empresa. O nosso objetivo é crescer de 50% a 75% ao ano e a gente vem nessa tocada.

Deixe seu comentário:

Estela Benetti

Estela Benetti

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

estela.benetti@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade