nsc
    nsc

    Economia

    Produção industrial de SC cai 0,5% em novembro, mas cresce 2,5% no acumulado do ano

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    14/01/2020 - 09h25 - Atualizada em: 14/01/2020 - 09h32
    Produção industrial tem crescimento acumulado de 2,5% (Foto: Reprodução)
    Produção industrial tem crescimento acumulado de 2,5% (Foto: Reprodução)

    Seguindo o resultado negativo da indústria nacional em novembro de 2019, Santa Catarina também fechou com retração. A produção industrial do Estado no mês registro queda de 0,5% frente ao mês anterior na série com ajustes sazonais e teve recuo de 3,7% frente ao mesmo mês de 2018. Como foi melhor na maioria dos demais meses, fechou o período de janeiro a novembro com alta acumulada de 2,5% e, em 12 meses, de 2,3%. Os dados integram a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física, do IBGE.

    No Brasil, 11 dos 15 Estados pesquisados tiveram retração na produção industrial. A média nacional foi uma queda de 1,2% em novembro frente a outubro e de 1,7% em relação ao mesmo mês de 2018. O país também teve resultado negativo de 1,1% no acumulado do ano e de 1,3% em 12 meses.

    Em Santa Catarina, as maiores quedas na produção industrial em novembro ocorreram nos setores de metalurgia (-16,8%), vestuário e acessórios (-12,7%), minerais não metálicos (-8,4%), veículos e reboques (-4,1%) máquinas e equipamentos (-3,6%), papel e celulose (-2,1%), produtos de madeira (-1,3%) e borracha e plástico (-1,2%). Registraram crescimento os produtos de metal (9,9%), têxtil (3,8%) e alimentos (3,5%).

    No setor industrial que mais emprega no Estado, o de vestuário, as principais razões da queda são a fraca demanda nacional devido ao desempenho aquém do esperado da economia porque as reformas não avançaram com a rapidez esperada e, também, devido à frustração das vendas de produtos de inverno porque fez pouco frio.

    No setor metalúrgico, o motivo principal da alta retração de novembro foi a queda de produção da indústria automotiva nacional, da qual é importante fornecedor. O país fabricou menos carros porque as exportações para a Argentina caíram.

    No Brasil, as maiores quedas em novembro frente ao mês anterior foram no Paraná (-8%), Espírito Santo (-4,9%) e Pernambuco (-4,1%). As maiores altas foram alcançadas pelo Rio de Janeiro (3,7%), Ceará (3,4%) e Minas Gerais (2,7%).

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas