nsc
nsc

Volta de empregos

SC abre 10.044 novos empregos em julho; segunda alta após o início da pandemia

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
21/08/2020 - 18h43 - Atualizada em: 22/08/2020 - 09h01
Movimento nas ruas aquece o comércio
Movimento nas ruas aquece o comércio (Foto: Diorgenes Pandini)

Santa Catarina encerrou o mês de julho com saldo positivo de 10.044 novos postos de trabalho formais, o segundo crescimento desde o início da pandemia no Estado, apontam os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia. Em junho, foram 3.301 novas vagas. Mas essas altas ainda não foram suficientes para superar as perdas com a crise. De janeiro a julho, o saldo do Estado é de -45.095.

No Brasil, foram 131.010 novas vagas em julho, o primeiro resultado positivo desde a chegada da pandemia. SC ficou em terceiro lugar no ranking do mês. São Paulo liderou com a abertura de 22.967 novos postos de trabalho, seguido por Minas Gerais com 15.843.

De acordo com balanço do Caged, no mês de julho a economia catarinense realizou 70.388 contratações e 60.344 desligamentos. Gerou maior saldo positivo de vagas na indústria, com 7.672, seguida pelo comércio com 1.443, construção civil 1.199 e agropecuária mais 26. Os serviços foram o único setor com saldo negativo, -296 vagas.

Nos sete meses do ano - janeiro a julho - SC registrou 533.581 admissões e 577.676 demissões. No período, o único setor que teve saldo positivo foi a construção civil, com acréscimo de 1.999 novas vagas. Nesse período, o comércio sofreu mais e dispensou -23.834, seguido por serviços -17.411, a indústria fechou -5.627 e a agropecuária -222. O fundo do poço para o emprego formal catarinense foi no mês de abril, quando as empresas fecharam 76.797 vagas. O segundo mês pior foi maio, com a perda de 23.916 e depois veio março, com a perda de 7.695 postos de trabalho. 

Considerando as cidades regionais mais importantes do Estado, Florianópolis, que depende mais de serviços, foi a única a apresentar desepenho negativo no emprego em julho. Teve saldo de -557 vagas, resultado puxado pelos serviços que fecharam 571 postos formais. Joinville, a maior cidade do Estado, criou, 711 novos empregos, e Blumenau abriu 626 vagas, ambas puxadas pela indústria. São José teve acréscimo de 317 com mais vagas nos serviços, Chapécó criou 180 empregos com crescimento maior da indústria, construção e comércio. Criciúma abriu 499 novos com mais vagas na indústria e serviços, e Lages teve acréscimo de 116 vagas, com maior força da indústria.

A expectativa é de que em agosto o Estado tenha resultado positivo novamente em função do nível de atividade econômica. Poutos setores seguem parados em função do novo coronavírus.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas