nsc
    nsc

    Dados

    Setor de serviços cai 1,8% em novembro, mas cresce 1,3% no ano em SC

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    14/01/2020 - 11h31 - Atualizada em: 14/01/2020 - 20h09
    Demanda por serviços nas praias cresce a partir de dezembro. Imagem da Praia Grande, de Governador Celso Ramos. Divulgação
    Demanda por serviços nas praias cresce a partir de dezembro. Imagem da Praia Grande, de Governador Celso Ramos. Divulgação

    O setor de serviços de Santa Catarina ainda enfrenta altos e baixos em função da fraca economia brasileira. No mês de novembro do ano passado registrou resultado negativo em 1,8% em volume frente ao mês anterior, outubro, na série com ajustes sazonais e na comparação com novembro do ano anterior caiu 3,4%. Porém, mantém resultado positivo em períodos maiores: teve resultado positivo de 1,3% nos 11 meses – de janeiro a novembro do ano passado – e alta de 1,4% em 12 meses. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE divulgada nesta terça-feira pelo IBGE.

    Em receita nominal, o setor, no Estado, teve queda de 0,4% em novembro frente ao mês imediatamente anterior e de 0,8% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Cresceu 4,5% tanto no acumulado de janeiro a novembro, quanto nos últimos 12 meses.

    A maioria dos grupos pesquisados ficou no vermelho em SC em novembro frente ao mesmo mês de 2018. Os serviços para as famílias tiveram queda de 1% em volume mas em receita subiram 3,3%. Os serviços de informação e comunicação caíram 6,8% em volume e 6,2% em receita; serviços profissionais, administrativos e complementares caíram 4,2% em volume e 2% em receita; transportes recuaram 2,1% em volume e subiram 1,3% em receita; e outros serviços tiveram alta de 1,5% em volume e 3,7% em receita.

    Os atendimentos de hotelaria e restaurantes em praias integram o grupo de serviços para as famílias que, em novembro, são mais fracos nas praias e crescem a partir de dezembro (foto).

    No Brasil, considerando volume, o setor de serviços teve queda de 0,1% em novembro frente ao mês anterior com ajustes sazonais, também caiu 1,8% na comparação com o mesmo mês de 2018, mas subiu 0,9% no acumulado de 11 meses de 2019 e também no acumulado dos últimos 12 meses.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas