nsc

publicidade

Tecnologia

Startup de SC faz teste genético que ajuda tratar doenças da mente

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
12/02/2018 - 14h44 - Atualizada em: 12/02/2018 - 14h50
Gntech
A Gntech vem se destacando na realização de teste farmacogenético para o sistema nervoso central
(Foto: )

A reação a medicamentos, muitas vezes, é diferente de uma pessoa para outra. Se o doente tomar os remédios certos terá melhor bem estar e até vai gastar menos. A tecnologia genética se tornou aliada nesse desafio. Uma startup de Florianópolis, a Gntech, vem se destacando na realização de teste farmacogenético para o sistema nervoso central, o que facilita a escolha de medicamentos e definição de dosagem para cada caso. O exame analisa 25 genes sequenciados com mais de 500 variantes para 79 medicamentos usados para tratar depressão, insônia, transtornos de ansiedade, Alzheimer, Parkinson e outras doenças. É a medicina do futuro que já chegou, afirma o médico psiquiatra Guido Boabaid May (foto), CEO da empresa que fundou junto com a esposa, a administradora Paula Pedrassani Boabaid May (D). Em atividade maior desde março do ano passado, a startup registrou um crescimento de 300% na procura por exames na última semana, depois que o jornalista Jorge Pontual, da Globo em Nova York, contou em reportagem que ele, por recomendação médica, fez um teste farmacogenético, descobriu os medicamentos mais indicados para o seu problema de depressão e teve uma melhora significativa.

A Gntech já foi incubada do Midi Tecnológico em Florianópolis e, desde o final do ano passado, integra a incubadora do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, a Eretz.bio Einstein. O ingresso nesse espaço voltado à inovação em saúde foi facilitado em função da governança avançada da startup. Além de Guido e Paula, ela tem mais três sócios, sendo duas holdings. Até agora, foram investidos no projeto R$ 6,5 milhões e estão sendo gerados 26 empregos diretos. Para facilitar a logística, o material para exame pode ser enviado via Correios e o pagamento pode ser parcelado em cartão de crédito.

- A farmacogenética é a integração entre a genética e a farmacologia.O teste farmacogenético analisa genes que cientificamente estão correlacionados com metabolização, resposta e toxidade de medicamentos, cruza esses dados e gera um laudo que determina como cada medicamento vai se comportar em cada um de nós com base no nosso DNA. Isso torna os tratamentos mais rápidos, mais eficientes e mais seguros além de diminuir custos. É uma ferramenta de medicina personalizada que substitui os métodos de tentativa e erro na definição de medicamentos. Até então, para a escolha de antidepressivo o médico faz o método de tentativa e erro, cuja assertividade é de 50% - explica Guido May.

Entre os exemplos da eficácia desse teste está o de uma paciente de 45 anos que há cerca de 20 anos tratava depressão, conta o médico. Ela tinha utilizado quase todos os medicamentos disponíveis no mercado para a doença, quase sempre com baixa resposta e altos efeitos colaterais. O teste farmacogenético da Gntech concluiu que ela tinha uma constituição genética muito desfavorável para 90% dos medicamentos existentes. Ela tinha uma variante genética que dava efeitos colaterais para todos os remédios e baixa resposta ao tratamento. Conforme Guido May, o laudo teve um duplo resultado nesse caso: a mudança para os medicamentos mais corretos com melhora da paciente e menos efeitos colaterais; e também um resultado psicológico muito grande porque ela estava sofrendo muito pelo fato de médicos e familiares já não acreditarem que tinha efeitos colaterais com quase todos os medicamentos e não registrava melhora na saúde.

- Quando chegou o resultado do teste ela ficou emocionada e disse: finalmente, as pessoas agora vão acreditar em mim, inclusive os médicos – contou May.

O algoritimo para desenvolver os 25 testes da Gntech foram desenvolvidos por equipe de bioinformática e tecnologia da empresa em Florianópolis. Ela contrata painéis com sequenciamento genético customizado de empresa nos EUA, indicando quais variantes quer encontrar no DNA do paciente. Conforme May, o serviço oferecido hoje é resultado de cinco anos de trabalho e esses testes são continuamente atualizados com base em resultados das últimas pesquisas científicas. Segundo ele, a Gntech oferece a mais completa análise para fármacos usados em doenças da mente considerando todas empresas mundiais que operam atualmente.

Leia todas as publicações de Estela Benetti​

Deixe seu comentário:

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade