nsc
    nsc

    Uma Páscoa com mais chocolates em SC

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    07/03/2019 - 04h40 - Atualizada em: 07/03/2019 - 09h19
    (Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS)

    A economia em melhor ritmo vai permitir uma Páscoa mais doce para os consumidores do Estado neste ano. Pesquisa feita pela Associação Catarinense de Supermercados (Acats) apurou que 38% das empresas do setor farão um estoque maior de chocolates e outros doces para a data, que este ano será em 21 de abril. O volume adquirido será 7% maior, em média.

    Entre as redes consultadas, 50% informaram que farão estoque igual ao do ano anterior. Esses números são melhores do que os de 2018, quando mais empresas, 72% fizeram estoque igual e 28% fizeram maior.

    A expectativa da Acats é de alta de 3% nas vendas gerais para a data este ano frente ao mesmo período do ano passado, informa o presidente da entidade, Paulo Cesar Lopes. Ele observa que a Páscoa é a segunda data mais importante do ano para o setor, atrás só do Natal.

    — Hoje, não só o empresário, como o próprio consumidor está mais otimista com o desempenho da economia. Por isso estamos prevendo crescimento de 3% - explica Lopes.

    Outra tendência forte no Estado, segundo o empresário, é a substituição do ovo de chocolate por outros formatos do produto, que têm preços mais acessíveis. As crianças ganham um ovo e outros itens. As vendas de produtos para o almoço de Páscoa também se destacam. O catarinense prefere carnes locais ao invés do importado bacalhau, observa ele.

    Termômetro

    O setor supermercadista fechou janeiro com alta real de vendas de 1,34% frente ao mesmo mês do ano passado, segundo a pesquisa Termômetro de Vendas da Acats. Questionado sobre a alta de 57% na arrecadação de ICMS do setor em fevereiro, conforme dados do Estado, o presidente da associação, Paulo Cesar Lopes, disse que o setor não teve esse crescimento. Acredita ser efeito contábil com o fim da substituição tributária a setores ano passado.

    Incentivos

    Uma informação da coluna, ontem, de que mudanças em incentivos fiscais ano passado ajudaram a elevar a arrecadação de fevereiro geraram dúvidas. Como, se os três decretos de 28 de dezembro de 2018 não entraram em vigor? É que além deles, a Fazenda do Estado fez algumas mudanças ano passado como aumento das alíquotas para produtos comprados apenas pela classe A, como filé mignon, salmão e azeite importado. Vinhos importados e outras bebidas do exterior também perderam incentivos.

    azeite
    (Foto: )

    Azeite de Oliva

    Os empresários Jester Macedo e Patrícia Macedo realizam nestes dias a colheita e elaboração do primeiro azeite de oliva feito em SC. A Quinta do Vienzo, empresa deles de Rancho Queimado, investiu R$ 330 mil, fará azeite premium e será aberta a turistas.

    Festival

    Um setor que cresce de forma acelerada no Estado é o de cervejarias artesanais. Só ano passado foram abertas 27 novas fábricas em SC. No Brasil, até o fim do ano passado eram 889. Por isso, no Festival Brasileiro da Cerveja, que abre esta semana, em Blumenau, marcas mais maduras, como a Schornstein (de 2006), estará ao lado da estreante Balbúrdia Cervejaria. A propósito, essa expansão ajuda a arrecadar mais ICMS em SC.

    Startup SC

    Novas empresas do setor de tecnologia e inovação podem se inscrever até domingo para o programa de capacitação Startup SC, desenvolvido pelo Sebrae/SC. Terá duração de cinco meses e, pela primeira vez, terá turmas em quatro cidades do Estado. Além de Florianópolis, terá turmas em Joinville, Blumenau e Chapecó. 50 serão contempladas.

    Vacinas

    Empresas, instituições e famílias se organizam para a vacinação contra gripe neste mês e em abril. Somente o Sesi, do Sistema Fiesc, vai vacinar cerca de 300 mil trabalhadores no Estado.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas