publicidade

Navegue por
Estela

Turismo

Vem aí o Caminho dos Vinhos no Oeste catarinense

Compartilhe

Por Estela Benetti
11/07/2018 - 05h00 - Atualizada em: 11/07/2018 - 05h00
Reprodução

Com o objetivo de atrair mais turistas e fortalecer os negócios considerando suas localizações geográficas no Oeste catarinense, quatro vinícolas de altitude lançam o Caminho dos Vinhos Terras Altas Catarinenses. Integram o projeto a Villaggio Grando de Água Doce; Panceri, de Tangará; Kranz de Treze Tílias; e a Santa Augusta, de Videira.

– Nosso projeto é focado em enogastronomia, considerando as características de cada vinícola. O centro da rota será em Treze Tílias, que é a cidade que tem maior rede hoteleira – afirma Guilherme Grando, diretor comercial da Villaggio Grando e também presidente da entidade Vinhos de Altitude – Produtores Associados, que reúne as empresas do setor em SC.

Segundo ele, é uma forma de projetar a região com atenção à localização porque Santa Catarina é um Estado pequeno, mas as distâncias, na prática, para os turistas, são grandes porque falta infraestrutura aérea. O aeroporto polo para a rota Caminhos do Vinho será o de Chapecó, que fica a 180 quilômetros de Treze Tílias. Por rodovias, Florianópolis fica a 420 quilômetros; Blumenau a 350; Balneário Camboriú a 400; e São Joaquim, município que sedia o maior número de vinícolas de altitude, fica a cerca de 300 quilômetros de Treze Tílias.

O projeto foi feito com consultoria do IEL, da Federação das Indústrias de SC, e o nome foi escolhido porque os vinhedos da região estão numa altitude de 1,3 mil metros, em média. Essa parceria não se sobrepõe à associação Vinhos de Altitude, que tem outro foco, diz Grando.

 

Veja também: Conheça o médico catarinense que atende pacientes em alto-mar

Um ano melhor

As vinícolas catarinenses projetam vendas melhores este ano do que em 2017, mas não dá para estimar percentual, afirma Guilherme Grando. De acordo com ele, a alta do dólar inibe um pouco a venda de importados, e a inclusão das empresas no Simples ajuda. Mas ainda são muitos os obstáculos, especialmente a substituição tributária, que tira capital de giro.

O frio vende mais

A queda de neve na Serra catarinense é um motivo para destacar uma das atrações da região, os vinhos de altitude, cujo principal polo de vinícolas é São Joaquim. A propósito, o enólogo da vinícola Villa Francioni, Nei Geraldo Rasera, após a empresa ser premiada com o Top of Mind da NSC, semana passada, disse que o frio ‘é o maior vendedor de vinho no Brasil’. A presidente da Villa Francioni, Daniela Freitas, informou que em julho, as vendas dobram na sede da vinícola e nos demais mercados sobem 50%.

 

Acate: dados e posse

Acontece hoje a posse da nova gestão da diretoria da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate), que tem à frente o empresário Daniel Leipnitz. O evento será às 18h30min, na sede da entidade, na SC-401, em Florianópolis. Antes, a associação vai divulgar pesquisa inédita com os números do setor em Santa Catarina nos últimos dois anos. Além disso, será feito o credenciamento dos Centros de Inovação da rede municipal de inovação da prefeitura.

 

Leia outras publicações de Estela Benetti

Deixe seu comentário:

Estela Benetti

Estela Benetti

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação