nsc
    nsc

    Varejo

    Vendas de Natal por crediário caem 13,6% em SC, apura a FCDL

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    30/12/2020 - 18h49 - Atualizada em: 30/12/2020 - 18h54
    Movimento no Centro de Florianópolis no período ante
    Movimento no Centro de Florianópolis no período anterior ao Natal (Foto: Dioargenes Pandini)

    A pandemia causou impacto negativo maior do que o esperado no desempenho do comércio no período que antecedeu o Natal em Santa Catarina. Uma sondagem da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL-SC) apurou recuo de 13,6% nas vendas a crediário nas semanas que antecederam a data frente ao mesmo período de 2019.

    O recuo foi maior que a média nacional, que teve retração de 2% no varejo de rua e de 12% nos shopping centers, segundo pesquisa feita pela Cielo e divulgada em parceria com a Associação Basileira de Shopping Centers (Abrasce).

    Governo federal libera R$ 10 bilhões ao Pronampe para esta quarta-feira

    Na avaliação do presidente da FCDL, Ivan Tauffer, essa retração ocorreu em SC porque o consumidor quis se preservar frente à segunda onda da Covid-19 e evitou sair de casa. Ele também atribui o recuo à falta de alguns produtos no mercado, uma escassez que vem ocorrendo desde meados do ano.

    Um dos resultados positivos foi o crescimento das vendas por e-commerce. A entidade considera que SC acompanhou a média nacional no período natalino, que cresceu 44,6% frente ao mesmo período do ano anterior, segundo levantamento da EbitNielsen. Entre os setores que já estavam com vendas em alta e mantiveram desempenho destacado no período estão os de materiais de construção, eletrodomésticos, móveis e produtos de supermercados. Ficaram aquém do esperado as vendas de vestuário e calçados. 

    Apesar desse resultado aquém do esperado segundo a pesquisa da FCDL, o varejo catarinense é um dos setores que já superou as perdas impostas pela pandemia no ano. No período de janeiro a outubro, teve crescimento acumulado de 5,5%, um dos melhores do Brasil, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE.

    O presidente da federação, Ivan Tauffer, informa que a entidade aguarda a vacinação contra a Covid-19 para a economia retomar o ritmo normal pré-pandemia.

    Mais colunistas

      Mais colunistas