Apesar de ter chegado um pouco mais tarde no Brasil, a onda de carros elétricos ou eletrificados se mantém crescente no mercado brasileiro e também em Santa Catarina. O programa de incentivos do governo federal Mover e a mudança na tributação despertaram investimentos das montadoras, enquanto o consumidor segue interessado em novidades tecnológicas.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

Santa Catarina é o quarto maior mercado para a venda de veículos eletrificados no país, segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE). No primeiro trimestre, foram vendidos no Estado 2.334 unidades, 6,47% do total nacional. No mês de março, foram 937 unidades. E segundo o setor de concessionárias, durante todo o ano passado SC registrou 4.841 emplacamentos de elétricos e híbridos enquanto no primeiro trimestre deste ano já chegou a 2.270 unidades.

Veja fotos do ranking dos elétricos mais vendidos no Brasil em março:

Continua depois da publicidade

Assim, considerando os dados de vendas, o Estado ficou atrás apenas de São Paulo, Distrito Federal e Rio de Janeiro nesse mercado. No primeiro trimestre, o Brasil vendeu 36.090 carros eletrificados, entre totalmente elétricos e híbridos.

Para o presidente da ABVE, Ricardo Bastos, o brasileiro está, cada vez mais, interessado em veículos elétricos porque são mais modernos e sustentáveis.

As montadoras já presentes no Brasil e outras anunciaram investimentos recordes superiores a R$ 120 bilhões no país até 2032. O último movimento foi da BMW, que anunciou a produção do SUV X5 Híbrido plug-in na fábrica catarinense de Araquari a partir do quarto trimestre deste ano, sendo o primeiro veículo eletrificado da empresa feito no país.

O consumidor gostou do design e da sustentabilidade dos automóveis elétricos ou eletrificados, mas enfrenta dois grandes desafios. Um deles é o preço. Com a volta dos impostos sobre importados, o veículo mais barato é o Renault Kwid E-Tech, que custa ao consumidor R$ 99.990. A partir daí, somente unidades mais caras. Esse primeiro eletrificado da BMW vai custar a partir de R$ 740 mil.

Continua depois da publicidade

Veja imagens de carros elétricos


Por causa da melhor infraestrutura de eletropostos, o maior número de veículos eletrificados é vendido nas capitais. Florianópolis foi a 15º cidade com mais vendas no primeiro trimestre deste ano, com 394 unidades. O Grupo Dimas, por exemplo, que atua principalmente na região com as marcas GWM e Volvo, emplacou no Estado, no trimestre, 416 unidades somando as duas marcas.

Apesar da tentação da nova tecnologia, o que tem feito muitos consumidores postergarem a aquisição de um automóvel 100% elétrico é a falta de infraestrutura de eletropostos no Brasil. Isso deixa a pessoa insegura se vai ter como abastecer caso fique sem bateria carregada.

Em Santa Catarina, nas principais rotas a oferta é boa. A BR-101 conta com eletropostos de norte a sul e a BR-282, de leste a oeste, até São Miguel do Oeste.

Continua depois da publicidade

Outra dúvida do consumidor mais preocupado com a preservação ambiental é como será o descarte das baterias usadas. O setor industrial informa que está avançando nos processos de reutilização para reservar energia e, também, em processos de reciclagem.

Leia também

Saiba qual é o esporte de 350 CEOs das 500 maiores empresas do Brasil

Livro conta a trajetória de 50 grandes marcas de Santa Catarina

Empresa de TI de SC anuncia centro de inovação de R$ 100 milhões no Sapiens

Quem é a jovem empresária de SC aprovada para fazer MBA em duas famosas universidades dos EUA

FOTOS: BMW anuncia o X5 Híbrido Plug-in, novo carro de luxo que vai produzir em SC

Destaques do NSC Total