nsc
    nsc

    À espera dos leitos

    Ministério Público abre inquérito para investigar instalação de UTIs em Rio do Sul

    Compartilhe

    Evandro
    Por Evandro de Assis
    16/07/2020 - 09h50 - Atualizada em: 16/07/2020 - 15h33
    Hospital tem 19 leitos de UTI e aguarda equipamentos para mais 10
    Hospital tem 19 leitos de UTI e aguarda equipamentos para mais 10 (Foto: Divulgação)

    O Ministério Público abriu um inquérito civil para apurar por que o Hospital Regional Alto Vale, em Rio do Sul, ainda não instalou novos leitos de UTI previstos para atender pacientes de Covid-19. Na quarta-feira (15), a promotora Caroline Sartori Velloso Martinelli solicitou informações à instituição sobre pacientes internados e procedimentos para liberação de novas vagas.

    No documento que oficializa a abertura da investigação, Martinelli menciona o repasse ao hospital de R$ 1,5 milhão pela prefeitura de Rio do Sul "para ampliação de 20 leitos de UTI, exclusivamente para tratamento de pacientes diagnosticados com Covid-19, mas até o momento não foram instalados".

    > Clique aqui para receber as últimas notícias de Blumenau e região pelo WhatsApp.

    A direção da Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí disse que aguarda o envio de equipamentos pelo governo estadual para abrir 10 leitos. Hoje, no sistema do Estado, há 19 credenciados. A instituição também espera a chegada de equipamentos, como monitores e respiradores. Há cinco pessoas internadas com suspeita ou confirmação de Covid-19.

    — Estamos com a unidade (nova) já com 10 monitores, aguardando a entrega dos respiradores, deve ser entre hoje e amanhã. A gente já estaria em condições de pôr a unidade em funcionamento, dependendo apenas do credenciamento junto ao Ministério da Saúde — disse o diretor-técnico do hospital, Marcelo Vier Gambetta.

    Críticas em Blumenau

    No domingo passado, o prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt, também questionou a demora na implantação de mais leitos de UTI no Alto Vale. O temor é que pacientes da região precisem ser transferidos para os hospitais de Blumenau, que já estão com 86% de ocupação.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas