nsc
    nsc

    Covid-19

    MPF investiga auxílio emergencial pago a esposas de vereadores em Blumenau

    Compartilhe

    Evandro
    Por Evandro de Assis
    26/06/2020 - 10h48
    Parlamentares apresentaram comprovantes da devolução do dinheiro (Fotos: Lucas Prudêncio, Divulgação)
    Parlamentares apresentaram comprovantes da devolução do dinheiro (Fotos: Lucas Prudêncio, Divulgação)

    O recebimento indevido do auxílio emergencial por esposas de dois vereadores em Blumenau será analisado pelo Ministério Público Federal (MPF). Uma notícia de fato chegou ao órgão na quinta-feira (25) e será distribuída a um procurador na tarde desta sexta. A partir daí, uma investigação deve ser aberta.

    As esposas dos vereadores Oldemar Becker (DEM) e Adriano Pereira (PT) admitiram ter solicitado o benefício de R$ 600 de maneira indevida, uma vez que a renda das famílias supera o teto de R$ 3,1 mil. O salário bruto mensal de um vereador em Blumenau é de R$ 11 mil.

    Ambos os vereadores pediram desculpas e apresentaram comprovantes de devolução dos recursos recebidos, após a repercussão negativa. Na quinta, Becker e Pereira falaram sobre o assunto na tribuna da Câmara. Apesar do constrangimento, receberam manifestações de apoio dos colegas parlamentares.

    No caso de Oldemar Becker, uma filha de 22 anos, que não vive com o casal, também teve acesso ao auxílio. Becker, que além de vereador possui um comércio de materiais de construção, alegou que a jovem está desempregada e tem um filho de dois anos. Segundo o parlamentar, a esposa teria solicitado o benefício para poder ajudar a filha.

    A investigação fica com o MPF porque o programa (e o dinheiro) é da União. A Comissão de Moralidade Pública da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Blumenau informou que acompanhará o andamento do caso junto ao Ministério Público.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas