nsc
nsc

Opinião

Não existe meia infração de trânsito, embora muitos pensem como o vereador de Blumenau

Compartilhe

Evandro
Por Evandro de Assis
03/07/2021 - 07h00
Vereador Tuca exigiu "bom senso" do guarda de trânsito
Vereador Tuca exigiu "bom senso" do guarda de trânsito (Foto: Informe Blumenau, Reprodução)

Não existe meia infração de trânsito. Regra é regra e existe para ser cumprida. Mas o comportamento do vereador de Blumenau Emmanuel Tuca Santos (Novo), que exigiu "bom senso" do agente que multou a esposa dele duas vezes na Rua das Palmeiras, sintetiza a opinião de muita gente sobre a fiscalização nas ruas.

> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

Ninguém gosta de ser apanhado no flagra, ainda mais em falhas do dia a dia, inerentes à condição de humanos que Tuca, eu e você, caro leitor, compartilhamos. Atire a primeira pedra quem nunca cometeu deslize no trânsito em nome da pressa ou da comodidade. Pois é.

No caso em questão, o veículo em que o casal transitava invadiu o corredor de ônibus e, para não precisar entrar no estacionamento da Câmara de Vereadores — que é estreito, chato de entrar e sair —, parou à beira da calçada para o parlamentar desembarcar. Foi rapidinho, o sinal já estava fechando, não atrapalhou ninguém. Mas parar ali é proibido (infração grave), assim como trafegar no corredor (gravíssima).

A ideia de que a lei deve ajustar-se à necessidade do infrator explica a aprovação popular à lei que proíbe radares portáteis em Blumenau — o próprio Tuca a citou no embate com o agente de trânsito. Há uma defesa majoritária de que, se for só um pouco acima do limite, numa rua em que tranquilamente dá para acelerar mais, para facilitar a ultrapassagem, é meia infração. Somente um guarda sem bom senso ou a indústria da multa discordariam disso.

Mas o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), felizmente, não dá ao guarda o direito de escolher quando a lei está em vigor e quando não está. Infração é infração. Nem para mais, nem para menos. Quem sente-se injustiçado tem o direito de recorrer da notificação. Aqueles com histórico bom ao volante ainda podem solicitar a conversão de multa leve ou média em advertência.

Reconhecer o erro é o caminho mais rápido de resolver o assunto. Não necessariamente o menos doloroso.

Por isso o trânsito é o que é.

Decoro

No caso do vereador, claro, há o agravante de ter feito uso das prerrogativas de parlamentar para pressionar o servidor. Ele ameaçou ligar para o superior do guarda e "dar um pau" na tribuna da Câmara. Essa conduta, caso vivêssemos num país que prezasse pelo decoro, teria de ser tratada pelo Conselho de Ética do Legislativo.

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp.

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Mais colunistas

    Mais colunistas