nsc
    nsc

    Erva-mate

    Empresários do Planalto Norte querem indicação geográfica para a erva-mate

    Compartilhe

    Loetz
    Por Loetz
    13/11/2020 - 10h56
    Erva-mate
    O reconhecimento vai beneficiar mais de 2 mil produtores da região (Foto: Ricardo Chaves)

    A iniciativa do Sindimate de buscar o selo, que teve apoio da Epagri e do Ministério da Agricultura, foi reconhecida pela Confederação Nacional da Indústria entre as três melhores práticas sindicais do país na categoria comunicação, produtos e serviços, relacionamento com o associado e programas de associativismo no ano passado.

    > Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

    De acordo com a Epagri, a erva-mate que se encontra na região Planalto Norte se diferencia pelo sistema de produção. A planta é cultivada historicamente em meio à floresta de araucária, de forma harmônica, sem desmatamento. O sistema de cultivo, aliado às características de solo e clima, confere ao produto um sabor leve, que agrada ao consumidor brasileiro e de outros países, como o Uruguai.

    > Negócios no e-commerce crescem e grandes redes anunciam novos centros de distribuição no país

    Em 2013, a Epagri se uniu a outras instituições para pleitear uma indicação geográfica para esse produto. O reconhecimento beneficia mais de 2 mil produtores de municípios como Campo Alegre, Canoinhas, Mafra, Porto União, Itaiópolis e Irineópolis. A erva-mate tem um papel importante de complementação de renda nas comunidades rurais locais e a concessão vai alavancar a comercialização do produto. Os empresário do setor de erva-mate do Planalto Norte catarinense buscam conseguir a indicação geográfica da erva mate produzida na região. Em encontro de lideranças dos setores de alimentos, bebidas e laticínios, o conselheiro do Sindimate/SC, Luis Mario Dranka, falou sobre como a busca tem impactado a indústria.

    > Joinville vai ganhar loja de atacados com fechamento do supermercado BIG

    Dranka comentou que a indicação geográfica tem sido decisiva na organização da cadeia produtiva que abrange 20 municípios com mais de 12 mil quilômetros quadrados de área delimitada como indicação geográfica. O selo certifica a qualidade dos produtos, fortalece o turismo regional, desenvolve novos produtos, ajuda a manter a sustentabilidade socioambiental, além de agregar valor ao território.

    O registro do INPI deve sair no início do ano que vem e então poderemos vender os produtos com o selo de indicação geográfica”, acrescenta. Atualmente, 18 empresas são associadas ao Sindimate/SC.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas