nsc
    nsc

    Novos negócios

    Negócios no e-commerce crescem e grandes redes anunciam novos centros de distribuição no país

    Compartilhe

    Loetz
    Por Loetz
    12/11/2020 - 12h02 - Atualizada em: 12/11/2020 - 12h43
     Mercado Livre anunciou, nesta quinta-feira, a construção de centro de distribuição em Governador Celso Ramos
    Mercado Livre anunciou, nesta quinta-feira, a construção de centro de distribuição em Governador Celso Ramos (Foto: divulgação)

    Os negócios via e-commerce já atingem 11% do total das vendas no varejo brasileiro. Antes da pandemia do novo Coronavírus, o percentual era de 5% apenas.

    > Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

    A expectativa é de que os consumidores aumentem sua presença neste canal de compras nos próximos anos. Nos Estados Unidos já é superior a 20% e na China chega a 40% do conjunto das transações.

    È neste clima que Mercado Livre, Amazon e Magalu elevam suas apostas com a criação de novos centros de distribuição em diferentes regiões do país. A Amazon vai construir mais centros CDs: em Santa Rita, no Distrito Federal; em Nova Santa Rita, no Rio Grande do Sul e em Betim, no estado de Minas Gerais. A Magazine Luiza (Magalu) inaugurou centro de distribuição em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, em outubro. E, recentemente, comprou o portal Canaltech; a Estante Virtual e as startups Stok, Hubsales e AiQFome.

    Já a  Mercado Livre anunciou, nesta quinta-feira, a construção de centro de distribuição em Governador Celso Ramos, na região da Grande Florianópolis, e mais quatro CDs: três no Estado de São Paulo e um no município mineiro de Extrema. 

    > Mercado Livre anuncia nesta quinta-feira projeto logístico em SC

    Estas novas unidades entrarão em funcionamento no próximo ano.  A companhia investe R$ 4 bilhões em seus negócios neste ano e vai elevar o valor em 2021, sem revelar o montante. O parceiro da Mercado Livre em Santa Catarina é a Cassol Construtora.  A unidade de Governador Celso Ramos  vai abrir mil empregos.

    Segundo a Mercado Livre, a empresa entrega as compras para 80% da população brasileira, em 1100 cidades, no máximo em até 48 horas. A companhia está atenta à possibilidade de privatização dos Correios, prevista para o próximo ano. Também Amazon, Fedex e Magazine Luiza consideram disputar o leilão.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas