Navegue por

publicidade

Loetz

Economia

Números de cancelamentos de CPFs diminui em Joinville

Compartilhe

Por Loetz
16/04/2018 - 11h10 - Atualizada em: 16/04/2018 - 11h10

Os consumidores de Joinville estão voltando às compras parceladas sem receio de terem seu crédito rejeitado pelas lojas. É o que mostram os números de registros e de cancelamentos de CPFs de clientes do comércio feitos no Serviço de Proteção ao Crédito da Câmara de Dirigentes Lojistas (SPC/CDL). Os dados apontam expressivo recuo nos três primeiros meses do ano em comparação com igual período de 2017.

No primeiro trimestre de 2018, o SPC apontou 6.309 pessoas. Um ano atrás, foram 7.388. Significa dizer que menos gente entrou na lista suja do varejo local, embora ainda seja uma quantidade significativa. Um olhar comparativo indica boa melhora. A tabela ao lado explica a situação, mês a mês.

Outra informação positiva: nos três primeiros meses do ano houve 8.544 CPFs cancelados. Significa dizer que 2.235 consumidores retornaram às compras pelo crediário neste início de ano. No entanto, este total é bem inferior ao verificado entre janeiro e março do ano passado, com 11.657 cancelamentos.

A partir deste amplo conjunto de números, também é possível concluir que a queda tem correlação com a percepção de lenta e progressiva melhora da economia. Milhares de registros e de cancelamentos a menos, de um ano para outro, sinalizam que os consumidores estão, gradativamente, colocando suas contas em dia.

Outros números ? estes referentes ao ano de 2017 todo, admitem a mesma linha argumentativa. De janeiro a dezembro passado, o SPC de Joinville anotou 32.839 registros, com 43.697 CPFs cancelados. O saldo, de mais de 10 mil, permite concluir que expressiva quantidade de joinvilenses voltou às compras. Inequívoco sinal de que o pior momento da crise de desemprego passou e, aos poucos, os gastos vão crescendo porque a massa salarial aumenta aos poucos.

INVESTIMENTO PAULISTA

A JetBov, startup joinvilense focada no agronegócio, obteve investimento de R$ 3 milhões da aceleradora paulista SP Ventures para expandir atividades. A empresa local já faz a gestão de 500 fazendas e monitora 500 mil bois em 20 Estados. Nova solução que vai levar ao mercado em breve poderá prever quando o animal vai alcançar seu ponto de equilíbrio e, então, ser mais rentável para o negócio.

MÚLTIPLOS TEMAS

Nesta segunda-feira, o salão da Acij vai ficar lotado para a palestra do presidente do Bradesco, Octávio de Lazari Junior. Razões não faltam: cheque especial, inadimplência elevada, necessidade de digitalização dos serviços bancários, expectativa por retomada consistente da economia e incertezas sobre o futuro do país em razão do cenário político são temas que vão surgir ao longo da fala e do debate com os empresários locais.

PROJETOS

Já são 40 os projetos arquitetônicos apresentados à direção do Hospital Bethesda, que planeja ampliar as instalações.

LIXO NO MAR

A Volvo Ocean Rice promove, em Itajaí, na quarta-feira, o seminário técnico-científico ?O futuro dos oceanos: combate ao lixo no mar?. Participam a velejadora Martine Grael; o procurador-chefe do Ministério Público Federal em Santa Catarina, Darlan Airton Dias; a representante da ONU Meio Ambiente, Fernanda Daltro; o professor da Universidade de Aveiro (Portugal), Armando da Costa Duarte; e o coordenador de gerenciamento costeiro do Ministério do Meio Ambiente, Régis Pinto Lima.

COMÉRCIO EXTERIOR

O Meeting Comex será realizado na Expoville na quarta-feira na Expoville. O evento vai analisar o ambiente econômico e relações do comércio exterior, com a presença de Julian Thomas, diretor-superintendente da Aliança/Hamburg/Süd; do vice-presidente da Fiesc, Mario Aguiar; e de Salvador Garza, da cidade mexicana de Monterrey.

RECICLAGEM

O coordenador do comitê para logística reversa da Fiesc, Albano Schmidt, conta que está em curso a atualização de um estudo que traça o diagnóstico da cadeia de reciclagem de Santa Catarina. O documento vai apresentar uma visão geral da reciclagem de materiais como vidro, papelão, metais, alumínio, plástico, isopor e eletrônicos. Também vai identificar as origens e destino dos materiais coletados, verificar a capacidade instalada das empresas de reciclagem, além de diagnosticar os principais desafios da cadeia produtiva.

CAUSAS

Os três principais sindicatos laborais da cidade mais industrializada de Santa Catarina estão revendo a situação patrimonial. Uma das causas para decisões tão drásticas, a explicitar desafios financeiros relevantes do movimento sindical, certamente é a reforma trabalhista, que retira receitas com o fim da obrigatoriedade do recolhimento do imposto sindical.

​Leia outras publicações de Claudio Loetz​

Deixe seu comentário:

Cláudio Loetz

Loetz

Loetz

Claudio Loetz é um dos mais renomados colunistas de economia do Sul do Brasil. Com textos analíticos e informativos, é a principal fonte de informação para os interessados em negócios em Joinville e região.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação