O governo do Estado de Santa Catarina adotou contenção de despesas (não são cortes, explica o secretário da Fazenda Paulo Eli) para enfrentar as incertezas da crise econômica derivada dos danos causados pela crise sanitária.

Continua depois da publicidade

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

As despesas públicas, em todas as áreas, exceto a da Saúde (que ganha reforço financeiro), ficam limitadas à variação do IPCA, o índice de preços ao consumidor amplo. Nos últimos 12 meses, fechados em fevereiro de 2021, o IPCA foi de 5,20%.

O secretário evita falar em valores da contenção de gastos (“ainda é cedo”), mas exemplifica o estado de atenção aos números: “o momento é de cautela; cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”.

> Estado disponibilizou mais de R$ 160 milhões em recursos a empresas do Norte de SC na pandemia

Continua depois da publicidade

Os técnicos da Pasta estão de olho no tamanho da crise nos outros estados para melhor monitorar seus efeitos para o caixa do governo estadual.

Como Santa Catarina é estado exportador, a dimensão das dificuldades que a pandemia impuser às demais unidades da federação vai se refletir nos negócios das empresas catarinenses. E, por extensão, aos cofres estaduais, pela via da receita menor que o esperado, quando foram feitas as projeções para o ano.

Leia também

> Unimed apela ao governo para ampliar suspensão de cirurgias eletivas no Estado

> Neogrid anuncia compra de startup catarinense

Destaques do NSC Total