nsc
    nsc

    Plano de saúde

    União de gigantes de planos de saúde terá efeitos em Joinville

    Compartilhe

    Loetz
    Por Loetz
    12/01/2021 - 10h57
    Fachada da clínica Hapvida
    Fachada da clínica Hapvida, que deve fundir com o grupo NotreDame (Foto: Divulgação/Hapvida)

    A iminente fusão entre os grupos NotreDame Intermédica e Hapvida poderá ter efeitos diretos em Joinville. Na avaliação de especialistas do banco UBS, o acerto entre as duas companhias vai resultar em grande concentração de mercado no setor de planos de saúde no município.

    > Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

    A Intermédica tem 18% e a Hapvida outros 16% do total do mercado local: ou mais de um terço, quando juntas, com 74 mil beneficiários em Joinville, de acordo com o UBS.

    Juntas vão deter relevante papel no mercado de planos de saúde e é para isso que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) poderá olhar, quando chegar a hora de analisar o ato de concentração econômica, supondo que a fusão aconteça.

    A Hapvida chegou a Joinville construindo hospital próprio, inaugurado em 25 de abril de 2019, e tem significativa rede de prestadores de serviços conveniada. Em fevereiro de 2020, a NotreDame Intermédica comprou a paranaense Clinipam, que já  atuava em Joinville; e em outubro a Notredame Intermédica comprou a gaúcha LifeDay, também com atuação em Joinville.

    > Faltam motoristas e empresas temem por apagão logístico

    É esta concentração econômica que o CADE deverá avaliar, caso se confirme o negócio das duas gigantes nacionais do setor.

    Concorrência é importante em qualquer tipo de atividade; e é essencial no segmento de saúde. Juntas, NotreDame Intermédica e Hapvid formam um conglomerado poderoso no setor de planos de saúde.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas