nsc
    nsc

    a mesma pergunta

    Ele é um superpai?

    Compartilhe

    Marcos
    Por Marcos Piangers
    11/01/2020 - 09h00 - Atualizada em: 23/01/2020 - 11h01
     Instagram, reprodução

    Não tenho palavras para expressar o tamanho da minha gratidão pelos eventos que ocorreram após o lançamento de O Papai é Pop, meu livro sobre paternidade. Os últimos anos foram de carinho interminável, aprendizado constante e reconhecimento internacional, mas preciso dizer algo. Uma confissão. Não sou um superpai.

    É que nos pararam essa semana pela quinquagésima sétima vez para perguntar para as minhas filhas se eu era mesmo pai maravilhoso. “Ele é mesmo um papai pop, meninas?”, as pessoas perguntam. Na praia, na rua, no shopping, nos programas de televisão. “Ele é mesmo um superpai?”, perguntam para minhas filhas. Na minha frente! Minhas filhas constumam olhar estranho para quem faz a pergunta. Franzem a testa. Respondem: “sim, claro”, quando estão com pressa. Ou “na verdade, ele é um mala!”, quando estão querendo me sacanear. Ou “é o único pai que tenho então não tenho com quem comparar”, quando estão azedas. Mas a verdade é uma só: eu não sou um superpai. 

    Chamamos de superpai um homem que leva os filhos na escola, no médico, na casa dos amiguinhos. Um homem que sabe o nome da criança que os filhos mais gostam de brincar. Um homem que chama a professora pelo nome e sabe quais as dificuldades de aprendizado que o filho tem. Um homem que trocou fraldas, virou noites em claro, arruma a lancheira, sabe preparar o prato que os filhos mais amam. Chamamos de superpai um homem que brinca com os filhos, faz a lição de casa, coloca-os no banho, conta história antes de dormir – e de madrugada volta para o computador porque tem que trabalhar mais. Chamamos de superpai um homem que faz exatamente o que toda mãe faz. Não existe superpai porque um pai que faz tudo que uma mãe faz não é super. É só pai.

    Você nunca vai ver filhos de uma mãe sendo questionados na rua: “Mas ela é mesmo uma supermãe?”. “Ela realmente acorda de madrugada pra cuidar de vocês?”. “Vamos ver se você é mesmo uma supermãe: qual a fruta favorita deles?”. Todos presumem que é dever da mãe fazer e saber tudo isso. Todos acreditam que a mãe deve conhecer os filhos e educá-los, desvendando cada mistério da transformação que é o crescimento de uma criança. Agora, se um pai faz o básico, se esforça para ser presente e executa um décimo do que a mãe: PAIZÃO!

    Claro que já conheci superpais, assim como conheci supermães (a minha!). Alguns pais são mesmo incríveis. Apesar das minhas filhas terem me chamado tantas vezes de herói, terem me escrito cartinhas com o famoso “você é o melhor pai do mundo”, terem dito com orgulho que eu sou o papai pop, sinto que elas estão crescendo. Aos poucos elas vão percebendo meus defeitos. E me puxam a orelha. E me ajudam a ser um pai melhor todo dia. Um pai normal. Nada mais do que isso.

    Conheça o Pai Total, um podcast sobre paternidade

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas