publicidade

Navegue por
Moacir

Política

Advogados do deputado Julio Garcia analisam inquérito da Operação Alcatraz

Compartilhe

Por Moacir Pereira
30/05/2019 - 23h57 - Atualizada em: 30/05/2019 - 23h57
(Foto: Tiago Ghizoni/NSC)
(Foto: Tiago Ghizoni/NSC)

Os advogados do presidente da Assembleia Legislativa (Alesc), deputado Júlio Garcia, informaram na noite desta quinta-feira (30) que seu nome consta da Operação Alcatraz, desencadeada na manhã de quinta pela Polícia Federal e Receita Federal, por suas ligações pessoais com o ex-secretário de Administração do governo estadual, o advogado Nelson Nappi, um dos 11 presos. Ele atuou naquela pasta no período da investigação policial. Acentuaram nada ter encontrado contra o parlamentar.

No início da noite desta quinta, duas notas oficiais trataram da operação no legislativo estadual. A primeira, da Diretoria de Comunicação da Assembleia, para esclarecer que nada havia em relação a atos na Alesc e/ou praticados pelo parlamentar.

A segunda, do próprio deputado Júlio Garcia, enfatizando desconhecer as razões da operação de busca em seu apartamento e sítio, e anunciando que tão logo seja inteirado prestará as informações.

A nota do legislativo tem o seguinte teor:

"A Assembleia Legislativa, por meio da Diretoria de Comunicação Social, informa que o evento policial ocorrido hoje não tem como foco o Poder Legislativo de Santa Catarina.

Um mandado de busca e apreensão foi cumprido nesta manhã no prédio administrativo da Avenida Mauro Ramos, onde foram vistoriados e apreendidos documentos e equipamentos eletrônicos, de uso do diretor de Tecnologia, Nelson Nappi, investigado no inquérito.

Por determinação do presidente, deputado Julio Garcia, o diretor foi exonerado do cargo no dia de hoje.

Até o presente momento a Assembleia Legislativa não teve acesso a informações mais precisas a respeito do inquérito ou sobre o teor das acusações. Mas está atenta e à disposição das autoridades para que o caso seja esclarecido no menor espaço de tempo possível.

Florianópolis, 30 maio de 2019."

A nota do deputado é a seguinte:

"Surpreendido por uma operação policial, na manhã de hoje, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Julio Garcia, informa que desconhece inteiramente as razões pelas quais teve seu nome envolvido nas investigações.

Assim que tiver acesso e conhecimento integral dos autos e analisá-los, prestará todas as informações necessárias.

Florianópolis, 30 de maio de 2019."

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação