nsc

publicidade

Moacir

Política

PMDB volta a presidir a Alesc depois de 30 anos

Compartilhe

Por Moacir Pereira
06/02/2018 - 13h25
alesc
(Foto: )

O PMDB volta a presidir a Assembleia Legislativa do Estado, com a eleição e posse hoje do deputado Aldo Schneider, depois de 30 anos, se desconsiderada a gestão do deputado Romildo Titon, em 2014.               

O último presidente foi o deputado lageano Juarez Furtado, eleito em 1987 e que comandou a Casa por dois anos. Ele recebeu de outro parlamentar do PMDB, o falecido médico Stélio Boabaid, de Tubarão.              

A eleição de Boabaid, contudo, não foi uma vitória do partido, eis que ele se elegeu graças ao apoio do esquema politico de Esperidião Amin. Naquela eleição, o voto do deputado Jorge Gonçalves da Silva foi decisivo, apoiando o dissidente Stélio Boabaid, contra seu partido, o PMDB.               

Assim, nos últimos 50 anos, o PMDB teve apenas três deputados presidindo a Assembleia:  Stélio Boabaid (1985), Juarez Furtado (1987) e Romildo Titon (2014), que ficou apenas 25 dias no cargo, tendo sido afastado pelo Tribunal de Justiça, acusado de suposto envolvimento na construção de poços artesianos em sua base eleitoral. O processo tramita no Tribunal de Justiça até hoje.               

O PMDB chega à presidência, graças a um acordo com o PP, costurado pelo ex-presidente Gelson Merísio, do PSD. Os progressistas elegeram o deputado Silvio Dreveck, que hoje renunciará para a eleição do vice Aldo Schneider. Dreveck assumirá a vice-presidência no lugar de Schneider, segundo o acordo.                

O novo presidente não pretende fazer grandes alterações na estrutura da Assembleia. Anunciou que sua gestão será de continuidade e que decidirá tudo compartilhando as decisões com a Mesa Diretora.                    

Com a posse de Aldo Schneider é a primeira vez que o Vale do Itajaí passa a contar com um presidente da Assembleia Legislativa.

Leia todas as publicações de Moacir Pereira

Leia também:

Colombo e outros governadores se reúnem com Rodrigo Maia para analisar reforma de Previdência

Morre em São Joaquim monsenhor Blevio Oselame

Trecho da BR-282 está abandonado

publicidade