publicidade

Navegue por
Moacir

Litoral Norte

Secretarias trabalham para extinguir autarquia do Porto de São Francisco do Sul

Compartilhe

Por Moacir Pereira
10/01/2018 - 13h20 - Atualizada em: 10/01/2018 - 15h09
Porto de São Francisco do Sul
(Foto: )

Grupo de trabalho integrado por representantes das secretarias da Casa Civil, Fazenda, Administração e Infraestrutura tratará dos atos de extinção da autarquia Administração Porto de São Francisco do Sul e a instalação da Sociedade de Propósitos Específicos, nos moldes do que ocorre no porto de Imbituba. O grupo será presidido pelo advogado Jordani Pelisser, coordenador jurídico da Casa Civil. O processo foi tratado entre o secretário Nelson Serpa (D) e o presidente da SCPar, Gabriel Vieira. Último ato oficial de Serpa no governo Colombo.

 

Mudança

O secretário da Casa Civil, Nelson Serpa, entra de férias a partir de hoje e só retornará dia 31 de janeiro para limpar as gavetas. Já comunicou ao governador Colombo que estará fora do governo. Assumirá em seu lugar, interinamente agora e depois de forma efetiva, o secretário-adjunto Luciano Veloso Lima. Seu nome já foi confirmado pelo vice-governador Eduardo Moreira.

 

Novo presidente

Acordo político entre os deputados Silvio Dreveck (PP) e Aldo Schneider (PMDB) vai ser cumprido em fevereiro. Na próxima semana os dois parlamentares se reunirão. Já acertaram que a renúncia de Dreveck será em 6 de fevereiro, que cai numa terça-feira, quando o governador fará a tradicional leitura da mensagem anual. Assumindo Schneider, o plenário elegerá Dreveck novo 1o vice-presidente.

 

Arte na Unesc 

Unesc
(Foto: )

A Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (Unesc) lançou edital para definir os artistas nascidos ou residentes no Estado que poderão participar do Espaço Cultural  “Toque de Arte” durante este ano. O projeto objetiva oferecer vitrine aos artistas e incentivar professores, estudantes e empregados às atividades culturais.

 

Hospitais

Secretário Nelson Serpa divulgou nota informando que em 2017 não houve transferência de sobras dos poderes para o Executivo. E que o Fundo de Assistência aos Hospitais Filantrópicos teve apenas R$ 26,5 milhões de saldo, fruto de repasse do próprio governo por conta da obrigação de aplicar 0,17% da receita líquida no referido fundo.

Leia todas as publicações de Moacir Pereira

Leia também:

Candidatura de Merisio avança

Hospitais filantrópicos: “Nos sentimos traídos pelo governo”

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação