nsc
nsc

Economia

Coronavírus: Hering vai produzir e doar uniformes de proteção para hospitais

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
25/03/2020 - 15h11 - Atualizada em: 29/03/2020 - 19h31
Hering
Sede da Hering, em Blumenau (Foto: Patrick Rodrigues, BD)

A Cia. Hering vai produzir cerca de 6,8 mil uniformes de proteção, contendo blusas e calças, para profissionais da saúde que estão atuando no combate ao novo coronavírus. As peças serão doadas a instituições de saúde de Santa Catarina, Goiás e Rio Grande do Norte, estados onde a empresa possui unidades produtivas e centros de distribuição.

Em site especial, saiba tudo sobre o novo coronavírus

Para tanto, parte da capacidade produtiva da Hering será mobilizada para a confecção desses uniformes "de forma consciente e cautelosa". A companhia ainda informou que funcionários que atuam nesta produção seguem com orientação e acompanhamento constante.

Em Blumenau, os hospitais Santa Isabel, Santa Catarina e Santo Antônio já receberam as peças.

A Hering não é a única empresa têxtil da região que está se mobilizando para ajudar no enfrentamento da pandemia. O setor produtivo, de uma maneira geral, tem demonstrado sua solidariedade naquilo que é possível, em que pese o congelamento de boa parte da atividade econômica.

> Quer receber notícias do Santa pelo WhatsApp? Clique aqui

De Pomerode, a TZE anunciou a distribuição de 1,5 mil máscaras feitas de tricoline e 100% algodão. O produto não impede a contaminação nem substitui os cuidados de higiene pessoal, mas pode ser usado como modo de prevenção, informou a empresa. As máscaras foram encaminhadas a asilos e postos de saúde.

Já a Lunelli, de Guaramirim, mas que conta com unidade em Luiz Alves, também informou que produziu 30 mil máscaras de tecido que foram encaminhadas para doação.

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas