publicidade

Navegue por
Pedro

Economia

Empresas de Blumenau demitem mais do que contratam pelo quarto mês seguido em agosto

Compartilhe

Por Pedro Machado
21/09/2018 - 18h24 - Atualizada em: 21/09/2018 - 18h24
Indústria teve resultado ruim no mês passado (Foto: Marco Favero)

O mercado de trabalho de Blumenau mais demitiu do que contratou pelo quarto mês consecutivo do ano em agosto. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta sexta-feira pelo Ministério do Trabalho mostram que, no mês passado, o saldo entre admissões e desligamentos ficou negativo em 441 vagas.

Curta Pedro Machado no Facebook​​​​​​​

Leia mais notícias de Pedro Machado​​​​​​

É o segundo pior desempenho mensal de 2018. Em junho, a economia local havia eliminado 519 postos de trabalho formais, aqueles com carteira assinada. A diferença é que o resultado, na época, ocorreu no rastro da greve dos caminhoneiros, que paralisou toda a cadeia produtiva na reta final de maio.

O número de agosto surpreende porque está no mesmo patamar do verificado em 2015, ano em que a recessão começou a ganhar força. Naquela ocasião, o saldo para o mês também havia ficado no vermelho – perda de 487 vagas.

Como os dados mais recentes do Caged acabaram de sair do forno, ainda é preciso entender melhor o porquê da queda. Uma primeira leitura, no entanto, sugere se tratar de um ponto fora da curva. Em 2016 (+164) e 2017 (+531) a geração de vagas foi positiva para o período.

A queda no mês passado foi provocada pelo desaquecimento de dois dos mais significativos setores da economia local. A indústria da transformação perdeu 397 vagas, enquanto o comércio fechou 368. O setor de serviços compensou um pouco, com abertura de 293 postos de trabalho. A construção civil teve contribuição mais modesta, com 47 empregos.

Outras atividades, como extração mineral, agropecuária e serviços industriais de utilidade pública, apresentaram variações pequenas no saldo, mas não tiveram relevância para o resultado.

Apesar do desempenho fraco do mês passado – o pior entre as grandes cidades catarinenses –, o saldo de criação de empregos no acumulado do ano ainda é alto em Blumenau. São 3.176 novas vagas com carteira assinada. É o segundo melhor desempenho catarinense, atrás somente de Joinville (+6.652), e o 22º do Brasil.

O saldo mensal de novas vagas em Blumenau em 2018:

Janeiro: +910

Fevereiro: +2.020

Março: +879

Abril: +677

Maio: -163

Junho: -519

Julho: -247

Agosto: -441

Fonte: Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação