nsc
    nsc

    Mobilidade urbana

    Transporte coletivo de Blumenau terá novas paralisações, diz sindicato

    Compartilhe

    Pedro
    Por Pedro Machado
    24/02/2020 - 17h02 - Atualizada em: 24/02/2020 - 17h12
    Blumob
    Foto: Patrick Rodrigues, BD

    Em novo manifesto publicado nas redes sociais no final da tarde desta segunda-feira (24), o Sindetranscol, sindicato que representa os trabalhadores do transporte coletivo de Blumenau, comunica que retomará as interrupções do serviço ainda nesta semana. A entidade alega que havia suspendido "o calendário de paralisações na semana passada em respeito à população" e que estava apostando "numa retomada do diálogo, que não aconteceu". Motoristas e cobradores devem anunciar com antecedência quando cruzarão os braços.

    No mais novo round da briga envolvendo trabalhadores, prefeitura e Blumob, o Sindetranscol questiona benefícios concedidos à concessionária, alega que o reajuste dado à categoria é três vezes inferior ao aumento da tarifa desde que a empresa assumiu o serviço e desafia o prefeito Mario Hildebrandt a autorizar a catraca livre. Muita gente acredita que esta seria uma maneira de pressionar a Blumob sem prejudicar quem depende dos ônibus para se locomover.

    O motivo do cabo de guerra é o impasse envolvendo as negociações da convenção coletiva da categoria, cuja data-base é 1º de novembro — elas se arrastam há mais de três meses. A Blumob já incorporou um aumento de 2,55% na folha salarial dos profissionais, índice referente à variação da inflação, mas ainda há divergências em relação a outros pontos da lista de reivindicações, incluindo manutenção de cláusulas sociais. O caso chegou a parar no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), mas as partes ainda não chegaram a um acordo.

    A Secretaria de Trânsito e Transportes informou que segue monitorando a situação, até para verificar se efetivamente haverá paralisação, mas disse que, no momento, não se manifestará oficialmente sobre a situação. A Blumob também ainda não se posicionou a respeito.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas