nsc
    nsc

    ASFALTO IRREGULAR

    Secretário de infraestrutura explica "caos dos buracos" em Joinville

    Compartilhe

    Rádio Globo
    Por Rádio Globo Joinville
    10/01/2019 - 09h43
    Secretário de infraestrutura, Romualdo França falou sobre os buracos nas ruas de Joinville (Foto: Nilson Bastian/Divulgação CVJ)

    Em entrevista ao Café das Seis desta quinta-feira, 10, na Rádio Globo Joinville 95.3 FM, o secretário de infraestrutura da cidade, Romualdo França, respondeu a vários questionamentos enviados pelos ouvintes sobre a situação das ruas do município, e explicou a "crise" que vive o sistema viário joinvilense. "A ideia é evitar o tapa-buracos. A operação é essencial para o município, mas é paliativa, não resolve o problema da via. O que precisamos é a manutenção preventiva, preparar a via para um novo sistema de trânsito e para o desgaste que ela tem ao longo de 20 ou 30 anos de existência", afirmou.

    Em relação ao ritmo lento das obras nas ruas de Joinville, o secretário justificou que há um imbróglio envolvendo os contratos com as empresas responsáveis por executar a manutenção das vias. "A opção de contrato foi dividir a cidade em quatro setores. Três setores estão sob a responsabilidade de uma empresa, e outro setor, uma outra empresa. Até setembro, quando os contratos anteriores estavam funcionando, o município pagava R$ 80 por metro quadrado da operação tapa-buracos, e agora foi para R$ 62. E uma das empresas não está conseguindo executar com esse valor", explicou.

    A empresa que paralisou seus trabalhos é justamente a responsável pela maior parte da manutenção das ruas da cidade, deixando 75% das vias de Joinville sem qualquer assistência, largada aos buracos. Sobre a previsão de quando essa situação poderá voltar ao normal, Romualdo alegou que a Prefeitura está seguindo todo o trâmite administrativo. "Estamos tentando resolver com a empresa, ela já recebeu três notificações. Vamos encaminhar isso para um processo administrativo, e nossa esperança é que eles assumam a responsabilidade desses contratos e venham a trabalhar normalmente", finalizou.

    O fato é que pelo menos por enquanto três quartos das ruas da cidade continuarão sem receber a manutenção no asfalto. Confira no áudio abaixo a entrevista completa do secretário, concedida ao jornalista Marcos Pereira, que foi ao ar no quadro "Clube do Café" desta quinta-feira, 10.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas