O turista argentino irá pensar duas vezes antes de voltar a Santa Catarina. A opinião é do Cônsul do país vizinho em Florianópolis, Federico Costa, em um contundente texto publicado nesta terça-feira (7). Ele afirma que 70% dos atendimentos realizados são casos de furtos.

Continua depois da publicidade

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Costa diz que o assunto que tomou conta desta temporada não foi a virose, “tão comentada na imprensa”, mas sim “os furtos aos turistas argentinos”. Ele afirma, ainda, que os hermanos se sentem “inseguros e desprotegidos” e cita “onda de roubos”.

Catarinense compra “quietinho” apartamento na Flórida

A coluna procurou a Polícia Civil (PC-SC) para buscar os registros de ocorrências envolvendo turistas argentinos. Veja aqui o que a polícia disse sobre o assunto.

Continua depois da publicidade

Confira o texto divulgado pelo Consulado da Argentina em Florianópolis:

DEPOIS DA VIROSE, OS FURTOS

Todos sabemos que esta temporada está tomada de turistas argentinos. É o ano da retomada do turismo após duas temporadas pausadas pela pandemia. Os argentinos voltaram, não como antes, porém quase duplicaram sua presença nas praias catarinenses.

Porém o assunto que tomou conta neste verão no Consulado da Argentina em Florianópolis não foi a virose, tão comentada nos meios de imprensa, e sim os furtos aos turistas argentinos. De todos os atendimentos realizados em janeiro para documentar turistas, 70% são casos de furtos, não somente de documentos, porém dinheiro em espécie (dólares), aparelhos eletrônicos, etc.

A grande maioria dos furtos foram em veículos, onde o criminoso identifica pelas placas que as vítimas são turistas. Tivemos casos de furtos do próprio veículo, que alguns dias depois são encontrados com placas falsas. São casos que deveriam preocupar, pois o mesmo turista que gera renda para o Estado, se sente inseguro e desprotegido, e certamente pensará duas vezes antes de voltar. Estamos certos de que tanto a contaminação das águas como a onda de roubos influenciam na decisão do turista argentino que pensa em visitar Santa Catarina. Todos os dias recebemos consultas a respeito e até habilitamos um serviço web que remete à página do IMA.

Os meios de comunicação da Argentina têm refletido várias vezes a situação da contaminação e já se encontram trabalhando sobre os casos de insegurança. Seria lamentável que o turismo argentino –e o enorme dinamismo que significa para a economia catarinense- despencasse por estas razões.

Continua depois da publicidade

Cônsul Federico Costa

Consulado da Argentina em Florianópolis

Leia mais:

PM de SC rebate cônsul da Argentina e diz que crimes diminuíram

Contorno da Grande Florianópolis fica sem liberação antecipada por falta de segurança

Picanha suína é alternativa para salvar a promessa de Lula

Destaques do NSC Total