nsc
    nsc

    Saúde

    Compra de vacina não pode repetir farra dos respiradores em SC

    Compartilhe

    Renato
    Por Renato Igor
    10/12/2020 - 06h36 - Atualizada em: 10/12/2020 - 08h06
    É preciso controle sobre os contratos de compra de vacina para evitar corrupção
    É preciso controle sobre os contratos de compra de vacina para evitar corrupção (Foto: Futura Press/Folhapress)

    A necessária compra das vacinas para imunizar a população não pode se tornar uma versão atualizada da farra dos respiradores. A fórmula é antiga. Governantes e agentes públicos se utilizam de momentos de calamidade para, através do modelo de dispensa de licitação, fraudar contratos e praticar o desvio do dinheiro público. 

    > Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

    Confira a opinião em vídeo:

    Isso já ocorreu muito em enchentes e tragédias climáticas - e se repetiu, também, no enfrentamento à pandemia, quando houve a necessidade de compra de equipamentos de saúde - como os respiradores.

    Houve problema em Santa Catarina, Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraíba, entre outros.

    O promotor de Justiça Fabrício Weiblen, coordenador do centro de apoio operacional da moralidade administrativa do Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC), explica que a dispensa de licitação para compra de vacina se justifica pela urgência.

    Ele diz, ainda, que caso as compras fossem centralizadas em Brasília - isso ajudaria mais no controle. E o que estamos vendo é a iniciativa de Estados e municípios para a compra do imunizante. 

    Que venha logo a vacina, mas que a sociedade fiscalize também estes contratos.

    Confira a entrevista com o promotor de Justiça Fabrício Weiblen, coordenador do centro de apoio operacional da moralidade administrativa do Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC):

    Leia mais:

    Pazuello diz que vacinação emergencial contra Covid pode começar em dezembro

    Lei mantém situação das escolas estaduais de SC e volta às aulas será em 2021

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas