nsc
    nsc

    Consumidor

    Revendedores de gás pedem redução de imposto para baixar preço do botijão em SC

    Compartilhe

    Renato
    Por Renato Igor
    11/02/2021 - 16h20 - Atualizada em: 11/02/2021 - 17h09
    Botijão de gás mais caro
    Botijão de gás mais caro (Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS)

    O Sindicato dos Revendedores de Gás em Santa Catarina (Sinregás) vai pedir à Secretaria da Fazenda (SC) a redução do ICMS de 17% para 12%. O presidente do Sinregás, Jorge Magalhães de Oliveira, explica que a medida poderia provocar a redução do preço do botijão. Com a revisão da política de renúncia fiscal na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), em 2019, o setor perdeu o benefício.

    >Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

    Na última terça-feira (9), a Petrobrás anunciou o segundo reajuste do ano, desta vez em 5,1%.

    Magalhães afirma que desde maio do ano passado o aumento na refinaria atinge 57%. Mas, segundo ele, nem tudo foi repassado ao consumidor. O executivo afirma que, na ponta, o valor teve, no período, no máximo 20% de majoração.

    “Com a pandemia e a crise econômica não há como o trabalhador absorver todo o aumento”, diz.

    Insumo básico na casa de todo brasileiro, este aumento corrói ainda mais o poder de consumo do trabalhador, em especial o de baixa renda, que tem a maior fatia de seus rendimentos mensais comprometida com itens essenciais.

    O quadro fica mais agravado em se tratando de trabalhadores do setor privado. Estes, em sua maioria, foram atingidos pela Medida Provisória de redução de jornada e salário. Pior, ainda, para aqueles que perderam seus empregos e os trabalhadores autônomos também atingidos pela crise provocada pela pandemia.

    Confira a entrevista com o presidente do Sinregás, Jorge Magalhães de Oliveira:

    Mais colunistas

      Mais colunistas